O treinador do Desportivo das Aves criticou hoje a arbitragem de Vasco Santos no empate 2-2 em casa com o Moreirense, na 18.ª jornada da Liga de Honra de futebol.

Vítor Oliveira considerou que Vasco Santos teve uma «arbitragem infeliz», apontando-lhe o dedo pela grande penalidade que originou o segundo golo dos visitantes, que «não existiu», e por ter permitido «o anti-jogo sistemático» do Moreirense.

«O árbitro tem a obrigação de defender o espectáculo e isso não aconteceu hoje. Deu três minutos de descontos que foram gastos praticamente com a expulsão do jogador do Moreirense», exemplificou.

Vítor Oliveira revelou que a comissão administrativa do clube avense vai reunir na segunda-feira, porque os seus responsáveis «estão extremamente desiludidos» com as arbitragens.

«O desânimo destas pessoas é preocupante para o Aves e para o futebol português», vincou.

Quanto ao resultado, disse sair «satisfeito, atendendo a tudo o que se passou», afirmando:

«A nossa primeira parte foi muito fraca, mas na segunda reagimos e fomos prejudicados por duas situações: o estado do terreno e um ‘penálti’ inexistente.»

O técnico do Moreirense considerou que o empate se aceita, mas que a sua equipa «podia e merecia» ter ganho.

«Antes do jogo um empate seria um bom resultado, depois, e como ele decorreu, não é o ideal. Depois de estar a ganhar por 2-0 pensei sempre que íamos vencer. Fomos anjinhos mais uma vez: uma falha imperdoável de um jogador nosso, que nunca pode aliviar para a frente da área, e depois surgiu o segundo golo do Aves», lamentou Jorge Casquilha.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.