O selcionador nacional de Burquina Faso, Paulo Duarte, disse que Cabo Verde tem uma boa equipa, mas que o seu coletivo veio preparado para arrancar a sua primeira vitória neste grupo de qualificação africana para o Mundial Rússia’2018.

O técnico português mostrou ser conhecedor do futebol cabo-verdiano, alegando que a equipa crioula tem a força no seu futebol coletivo, ainda que “nos últimos sete nove meses têm vindo a estar longe da sua realidade e do futebol com que conquistou a África”.

Paulo Duarte destacou o trabalho do selecionador nacional Lúcio Antunes, feito antes da sua partida para Angola, onde durante uma temporada treinou o Progresso de Sambizanga de Angola, mas sublinhou que Burquina Faso trabalhou para contrariar o fator casa.

Paulo Duarte está ligado à seleção nacional de Burquina Faso desde a 2007/08, tendo pelo meio passagem pelas equipas francesa Le Mans (2010, acumulando o cargo com o de selecionador de Burquina) e tunisina CS Sfaxien (2014/25) e pela seleção do Gabão (2012 e 2013), tendo regressado a Burquina Faso em 2015/16.

Na sua carreira de futebolista em Portugal, o técnico de 47 anos representou vários clubes, o último dos quais a União de Leiria, assumindo as funções de treinador desta equipa após “pendurar as botas”.

Como treinador, Paulo Duarte dirigiu o Salgueiros, o Marítimo e, novamente, a União de Leiria, antes da sua primeira experiência africana à frente da seleção do Burquina Faso.

O jogo Cabo Verde x Burquina Faso realiza-se esta tarde, às 16:00, no Estádio Nacional, em Monte Vaca, Achada de São Filipe, conta para a segunda jornada do Grupo D de qualificação para o Mundial da Rúsia’2018 e vai ser dirigido por uma equipa de arbitragem da Mauritânia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto