Cabo Verde defronta a Líbia este domingo, em jogo da segunda jornada do Grupo F do apuramento ao CAN2017. Os "tubarões azuis" voltaram a eleger Lisboa como palco de preparação do encontro. Um jogo muito importante para as aspirações de Cabo Verde, como deu conta o selecionador Rui Águas, em entrevista ao SAPO Desporto. O selecionador de Cabo Verde lamenta não poder convencer mais jovens nascidos na diáspora a representar a seleção.

"Este jogo fora com a Líbia é um pouco parecido como o do Níger há dois anos, é muito importante e pode ser decisivo. Ganhando a Líbia, ficamos numa posição vantajosa, não ter falhas frente a São Tomé e Príncipe e Líbia é fundamental para depois discutir com Marrocos o primeiro lugar do grupo", sublinha Rui Águas.

O jogo com os líbios será no Cairo, Egito, à porta fechada, devido ao facto de a Líbia não poder realizar jogos de futebol no seu território por causa do conflito político-militar. O selecionador de Cabo Verde vê vantagens para os crioulos em disputar este jogo em terreno neutro.

"É uma vantagem teórica, não é propriamente fora de casa, mas vamos ter as mesmas condições de competir com o nosso direto adversário que é Marrocos já que a Líbia fará todos os jogos longe do seu público. Jogar com o adversário a não contar com os seus adeptos é sempre bom mas será em vão se não fizermos o nosso trabalho dentro de campo", sublinha.

Rui Águas optou por um grupo de jogadores que são habitualmente chamados. Há vários atletas com possibilidade de representar os "tubarões azuis" mas a missão de os convencer a defender as cores de Cabo Verde não está fácil.

"Temos vindo a introduzir alguns jogadores novos, com promoção do jovem cabo-verdiano, tentando, dentro do contexto europeu, convencer um ou outro a representar a nossa seleção, como foi o caso do Steve Fortes, jovem com enorme potencial. Mas esta é a nossa realidade, temos de lutar com França, Portugal, Holanda, países com um grande peso histórico e futebolístico e que nos tem impossibilitado de agregar mais jovens. Todos sabemos das qualidades de vários jovens cabo-verdianos mas que não temos conseguido juntar à nossa equipa", lamentou o selecionador dos "tubarões azuis".

No treino da tarde desta quinta-feira, destaque para a ausência de Ryan Mendes, autorizado a tratar de assuntos pessoais. Babanco saiu tocado mais cedo mas deverá estar apto para o encontro com a Líbia. Os jogadores treinaram situações de bola parada (cantos e penáltis) circulação da bola em espaço reduzido e movimentação tática.

A comitiva cabo-verdiana parte esta quinta-feira para Espanha onde irá permanecer um dia, antes da viagem para o Cairo, Egito, onde no domingo defronta a seleção da Líbia. Os "tubarões azuis" tem agendado ainda mais três treinos: um em Lisboa na manhã de quinta-feira, outro na sexta-feira em Barcelona o derradeiro no sábado no palco do jogo, no Cairo, Egito.

Cabo Verde estreou-se na qualificação para o CAN2017 com uma goleada de 7-1 frente a São Tomé e Príncipe.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.