A seleção nacional derrotou este domingo a Escócia, por 3-1, num jogo particular. Hélder Costa, Éder e Bruma foram os autores dos golos da equipa das Quinas, numa partida marcada por várias estreias e pela ausência das caras mais conhecidas do plantel de Fernando Santos.

O jogo: Uma equipa vencedora mas 'dormente', numa noite cheia de estreias

Depois do jogo da seleção na passada quinta-feira frente à Polónia para a Liga das Nações, Fernando Santos deixou descansar os jogadores com mais minutos para dar oportunidade aos restantes convocados. Ainda antes do início do jogo, já se sabia que o selecionador nacional teria dispensado Rui Patrício, Pepe e Bernardo Silva, mas não se sabia que a equipa titular teria no total 10 alterações.

O defesa Rúben Dias foi o único sobrevivente da equipa titular que a seleção portuguesa de futebol apresentou este domingo - quando comparada com a equipa titular do jogo com a Polónia - com destaque para a estreia absoluta de Hélder Costa.

No entanto, tantas mudanças deixaram a equipa inicialmente perdida. O princípio da partida mostrou um conjunto 'frágil' que perdia a posse de bola com alguma facilidade e que dava demasiado espaço à Escócia, que foi a primeira equipa a mostrar perigo - aos 15 minutos apenas Beto ficou entre Sérgio Oliveira e um possível autogolo.

Perto da meia hora de jogo, a equipa começou a encontrar a sua 'melodia' e a funcionar melhor como conjunto. Por essa altura, apareceu a primeira oportunidade para a equipa das Quinas, pelos pés de Bruma. O golo não aconteceu, mas deu força a Portugal.

A partir dessa altura, a posse de bola cresceu substancialmente para a seleção nacional, que chegava cada vez com mais perigo à grande área adversária. Aos 43 minutos, Hélder Costa marcou a estreia absoluta por Portugal com um golo que colocou a equipa na frente do marcador.

Depois do intervalo, os meninos de Fernando Santos apareceram com mais força, determinação e vontade de aumentar a vantagem: e assim foi. Dois anos depois do dia que marcou a história do país, Éder voltou a fazer o país vibrar e marcou o segundo golo da equipa das Quinas. Aos 84 minutos foi a vez de Bruma fazer o gosto ao pé.

Aos 90+3 minutos e depois de Fernando Santos lançar Cláudio Ramos, a equipa da Escócia chegou ao primeiro golo, por Naismith, que não deu hipótese de defesa ao guarda-redes do Tondela. No entanto, e apesar da vitória, a partida foi fraca e não deu propriamente espetáculo aos amantes de bom futebol.

Os melhores: O regresso do herói de Paris, acompanhado do homem do jogo

Bruma foi o destaque da equipa numa noite sem magia. O extremo do Leipzig foi o autor do terceiro golo da seleção: Gedson descobriu Bruma na esquerda e, depois de um grande trabalho do extremo até à área escocesa, o avançado disparou ao ângulo superior esquerdo de Gordon. Além do tento, Bruma ainda assistiu e deixou claro que é uma boa opção para o selecionador nacional.

Também Éder esteve em destaque este domingo. Dois anos depois de dar a maior das alegrias aos portugueses, o jogador do Lokomotiv de Moscovo voltou aos golos com a camisola da seleção: Num livre batido por Renato Sanches, Éder cabeceou, na área, sem hipóteses para Gordon.

Os piores: Sem os colegas habituais e sem rumo

Apesar de não ter entrado em campo no jogo de quinta-feira, Cédric Soares é um dos poucos jogadores que, depois de ser utilizado com regularidade no Campeonato do Mundo, foi chamado este domingo. No entanto, o jogador do Southampton acabou por mostrar as razões para não ter sido chamado por Fernando Santos na semana passada: só na primeira parte, Cédric não conseguiu fazer nenhuma ação defensiva e ainda conseguiu falhar oito passes e um cruzamento. Números pouco animadores e que traduzem uma noite pouco inspirada do defesa português.

Outro dos desinspirados da noite foi Sérgio Oliveira. O jogador do FC Porto esteve muito perto de dar o primeiro golo à equipa... da Escócia. Logo aos 15 minutos, o médio ia marcando auto-golo, valeu apenas Beto com uma grande defesa. Sérgio Oliveira estava desatento e ao tentar cortar a bola na sequência de um livre, quase marcou na própria baliza.

Reações

Fernando Santos: "Foi um bom jogo, dentro do que era expectável"

Éder "Espero continuar a ser chamado à seleção"

Hélder Costa: "Estou muito feliz pela exibição da equipa e pelo golo"

Bruma: "O mais importante é que Portugal conseguiu ganhar"

Alex McLeish: "Demos um tiro no pé..."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.