Fazer um 'hat-trick' pela seleção nacional não é para qualquer um, e frente às Ilhas Faroé, André Silva entrou para um restrito lote de jogadores que conseguiu marcar três golos por Portugal antes do intervalo de um jogo. O primeiro jogador a conseguir tal feito no futebol português foi Francisco Palmeiro, em 1956, num jogo amigável com a Espanha de Franco.

Em entrevista ao SAPO Desporto, o antigo jogador do Benfica e ex-internacional português enalteceu os três golos apontados pelo avançado do FC Porto e só lamentou que André Silva não tivesse feito o quarto golo no jogo de qualificação para o Mundial 2018.

"Temos avançado centro. É mais uma esperança para o nosso futebol, é um miúdo muito jeitoso, com condições para ter um futuro brilhante no futebol", começa por dizer Francisco Palmeiro sobre André Silva antes de recuar sessenta anos para uma tarde de junho no Estádio onde marcou três golos na sua estreia pela seleção nacional de Portugal.

"Já tinha estado contra o Brasil convocado, mas não entrei, e depois na estreia contra a Espanha tive sorte com as oportunidades, o que é difícil acontecer no futebol, marquei os três golos. Evidentemente que fiquei muito contente e satisfeito porque naquela altura foi um jogo que teve uma repercussão muito grande e ainda para mais foi contra a Espanha pois vínhamos de 10 anos de relações cortadas desportivas com a Espanha e por isso teve um impacto ainda maior", recordou Francisco Palmeiro.

Com três golos na primeira parte frente às Ilhas Faroé (12', 22', 37'), André Silva igualou o registo do antigo extremo esquerdo português frente à Espanha (5', 26' e 43')

"Não me recordo de ver nenhum significado pelos três golos. Era um feito que qualquer pessoa ficaria satisfeita de alcançar porque não é muito normal, ainda para mais na seleção e numa estreia. Não me recordo se houve alguém que marcou três golos na sua estreia internacional. Mas o futebol agora está diferente, está completamente diferente, os jogadores têm condições agora totalmente diferentes daquelas que nós tínhamos, mas de qualquer maneira é um miúdo que eu admiro. Eu ainda pensei que ele poderia ter feito o quarto golo e que o colocava ao nível do Eusébio, Cristiano Ronaldo, Pauleta ou Nuno Gomes. Eu depois tive pena porque ele tem um remate mesmo a acabar o jogo antes de sair que poderia ter feito o golo. O quarto golo do André Silva era giro porque o miúdo merecia de facto fazer mais um golinho para igualar os craques antigos porque agora é só Ronaldo e os outro são mais antigos", sentenciou Francisco Palmeiro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.