“Ainda não podemos festejar, falta um jogo e por isso vamo-nos concentrar ao máximo”, disse Simão Sabrosa, que bisou no encontro, com golos aos 33 e aos 79 minutos.

O objectivo para este jogo foi cumprido, o que para Ricardo Carvalho significa “meio caminho andado”, mas todos são unânimes em afirmar que ainda não é altura para festejos. Bruno Alves acrescentou que “foi um jogo do colectivo, onde as individualidades no final apareceram”.

Pedro Mendes, que foi um dos escolhidos por Carlos Queiroz, frisou que foi dado um grande passo e que a equipa so espera festejar na quarta-feira, no encontro em Guimarães, frente a Malta, última classificada do Grupo A.

“Foi uma vitória segura. Tivemos a sorte de conseguir o resultado que queríamos. Agora está tudo em aberto, continuamos a alimentar o sonho”, sublinhou Eduardo, o guarda-redes da Selecção, que teve uma noite bastante tranquila.

Com este resultado e com a derrota da Suécia frente à Dinamarca (1-0), Portugal ocupa agora o segundo lugar do grupo e só depende de si mesmo para segurar o lugar que dá permitir jogar os “play-offs” de acesso à fase final do Mundial 2010, na África do Sul. No encontro com Malta, quarta-feira, só a vitória interessa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.