Num comunicado enviado à Agência Lusa, Onofre Costa negou todas as afirmações feitas pelo antigo seleccionador Carlos Queiroz: «Nunca transmiti qualquer conversa ou informação reservada a qualquer organismo ou funcionário governamental, nunca beneficiei qualquer órgão de comunicação social e dei provas de que separo as questões pessoais das profissionais».

Em entrevista publicada hoje no jornal A Bola, Carlos Queiroz acusou o assessor da FPF de «fazer parte dos serviços secretos de informação da governação» e de o ter traído no processo contra à ADoP e o presidente do organismo, Luís Horta.

«Enquanto trabalhei com o Professor Carlos Queiroz, independentemente de divergências que podem acontecer em qualquer relação profissional, sempre fiz o melhor que sabia e podia para defender o seleccionador nacional», frisou o assessor de imprensa da FPF.

Onofre Costa negou também que tenha «instrumentalizado» o defesa Pepe, quando o internacional português criticou Queiroz no último estágio da selecção.

«A todos os atletas que falaram à comunicação social durante o estágio foi solicitado que, perante eventuais perguntas sobre a decisão do TAS ou o Mundial2010, sublinhassem a concentração nos jogos de preparação para a importante jornada de apuramento de Junho e se afastassem de polémicas», explicou.

Onofre Costa termina o comunicado lamentado que Carlos Queiroz esteja «muitíssimo mal informado» e que vai accionar mecanismos legais.

«Não posso admitir que a minha dignidade profissional seja posta em causa por via de intrigas e informações falsas, pelo que reservo-me o direito de recorrer a todos os mecanismos legais ao meu alcance para defender e repor o meu bom nome», conclui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.