O ponto forte da equipa da ex-Jugoslávia é o seu ataque, o mais concretizador entre as equipas que atingiram o “play-off” e o quarto melhor de toda a zona europeia de qualificação para o Mundial 2010, na África do Sul.

Edin Dzeko, que apenas falhou 10 minutos no apuramento, é a grande figura da selecção bósnia, treinada por Miroslav Blazevic, tendo apontado nove golos na fase de apuramento. Mas não é apenas o avançado do Wolfsburgo que marca na equipa bósnia, uma vez que o seu companheiro de equipa e estratega Zvjezdan Misimovic apontou cinco golos e Zlatan Muslimovic quatro, este último em apenas 228 minutos.

Além das duas derrotas com a Espanha, a Bósnia-Herzegovina cedeu pontos apenas em dois outros encontros, ao perder e empatar com a Turquia.

De resto, vitórias sobre as outras três selecções do grupo, com triunfos expressivos sobre a Bélgica (4-2), a Arménia (4-1) e a Estónia (7-0), com quem Portugal empatou a zero num particular no final da última temporada.

O último encontro da fase de qualificação deixou, contudo, claras algumas deficiências defensivas da Bósnia-Herzegovina, que perdeu em casa por 5-2 com a Espanha.

A selecção bósnia é a segunda selecção menos cotada do “play-off”, ao ocupar a 42.ª posição do “ranking” da FIFA, à frente da Eslovénia (49.ª) e atrás de Ucrânia (22.ª) e República da Irlanda (34.ª).

Portugal é assim o último obstáculo que separa a Bósnia-Herzegovina de uma primeira presença na fase final de um Mundial de futebol, num “play-off” marcado para 14 e 18 de Novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.