“Eu disse que, em princípio, há três estádios fixos (Luz, Alvalade e Dragão), mas nós temos um estudo feito com mais dois cenários possíveis. Uma coisa é o orçamento para a candidatura, outra coisa são os investimentos que vão ou não ser necessários fazer. Nós temos cenários de haver um ou mais dois estádios em Portugal”, afirmou.

À saída de uma reunião na sede da FIFA, em Zurique, onde apresentou a candidatura ibérica, juntamente com o presidente da Federação Espanhola, Angel Maria Villar, Madail lembrou que ambos os recintos “têm de ter mais 12.000 lugares cada um”.

“Teria toda a vantagem incluir o Algarve, mas temos de ver o que é necessário para que aquele estádio passe a sua capacidade de 29.000 para 42.000 espectadores, para ver se vale a pena. Tem de haver uma ponderação local. Tem de se ver quais são os custos disso e quem é que paga. Isso é um problema que tem de ser discutido entre o Governo e a Câmara”, concluiu.

O secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, pediu tempo para se estudar bem essas questões com ponderação.

“É muito interessante que se façam todos os debates e mais alguns sobre essas matérias, mas é também interessante que em relação a tudo isso a candidatura dê passos seguros. Há-de haver um tempo em que esse mapa ficará definido”, referiu.

Sobre a possibilidade da implosão do Estádio Municipal de Aveiro, construído para o Euro2004, Laurentino Dias disse que era um grande disparate.

“Acho essa ideia um disparate”, disse o Secretário de Estados, deixando uma questão: “Não haverá ninguém em Aveiro, na região e no país a arranjar soluções que permitam cobrir o défice que o estádio está a trazer, por não ter um clube com peso para o manter”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.