Portugal sentiu dificuldades para chegar ao golo. Alguns passes falhados e muita pressão, homem a homem, dos pupilos de Blazevic.

A Bósnia mostrou que veio a Lisboa discutir o resultado e, apesar da vantagem, Portugal terá de mostrar mais dinâmica e soluções para a aumentar.

Por ausência de Bosingwa, lesionado, Carlos Queiroz chamou Paulo Ferreira para a lateral esquerda. Há mais de um ano que o defesa do Chelsea não envergava a camisola das quinas.

Nani também teve a confiança do seleccionador e foi dos mais acutilantes do ataque português, com saídas rápidas, mas muito bem marcado pela defesa bósnia. E foi num dos raros momentos em que lhe deram descanso, que o avançado se libertou para oferecer o golo.

Aos 31 minutos, finalmente, o estádio da Luz pôde vibrar. Nani cruzou na direita, a bola sobrevoou toda a área bósnia e foi encontrar a cabeça de Bruno Alves no lado oposto, para que o central inaugurasse o marcador.

No entanto, os bósnios mostraram porque ainda discutem um lugar na África do Sul: pressionantes, foram uma dor de cabeça para o ataque português. E chegaram mesmo a assustar os cerca de 50 mil adeptos portugueses.

Com pouco espaço para criar jogadas de perigo, só de longe o colectivo luso assustava.

Raul Meireles, aos 30', com um pontapé forte, obrigou Hasagic a uma boa defesa.

Aos 40 minutos, Misimovic rematou dentro da área, pondo à prova Eduardo.

Ainda antes do intervalo, um cabeceamento ao poste fez tremer a Luz. Salva pela trave, a equipa lusa foi para o intervalo a ganhar pela margem mínima.

Nas bancadas da Luz, três nomes fortes do futebol português: Figo e Rui Costa foram apoiar a Selecção, tal como Cristiano Ronaldo, que já tinha dito que estaria presente.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.