“Foi uma excelente primeira parte. Enquanto mantivemos o ritmo elevado e velocidade de circulação de bola, a movimentação da equipa foi, em alguns momentos, brilhante. Fiquei contente, sobretudo com a atitude dos jogadores que abordaram o jogo de uma forma séria desde o início. Fizemos três golos, ganhámos e foi bom para a confiança da equipa e convicção daquilo que a equipa pode fazer”, sublinhou Carlos Queiroz.

“A equipa tem mostrado cada vez mais consistência. Aproveitámos para fazer uma abordagem táctica diferente, mais na segunda parte por a equipa ter sido afectada por lesões porque queria continuar a experimentar a mesma solução mas com outros jogadores, mas voltámos à estrutura inicial. Foi um bom treino, uma boa jornada de preparação. Agora é esperar que os seus jogadores façam uma boa preparação, não se lesionem e estejam bem nos seus clubes para daqui a 12/15 dias ganharmos à Dinamarca e à Hungria”, adiantou Queiroz.

Acerca da ausência de Cristiano Ronaldo, o seleccionador nacional revelou que está mais preocupado em conseguir combinar Nani com Eliseu em campo, mas acrescentou que "quando o Cristiano estiver, tomaremos essa decisão. Era importante utilizar usar a velocidade e capacidade de penetração de Nani numa altura em que os jogadores do Liechtenstein estavam cansados. Também muitos dos jogadores portugueses começaram a baixar de intensidade ao fim de 60 minutos”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.