O extremo, que falava à margem da gala de comemoração do 106.º aniversário do clube, na qual foi distinguido com o prémio "Revelação", garantiu que "o sonho de qualquer jogador é representar o seu país".

"O meu primeiro objectivo passa por jogar no Benfica e este ano estou a consegui-lo. A selecção é o meu segundo objectivo. Depois de estar a jogar no Benfica, logo se vê se tenho a oportunidade de ir à selecção", afirmou o número 18 das “águias”.

Sobre o galardão recebido, Fábio Coentrão disse tratar-se do reconhecimento do seu trabalho e mostrou determinação em continuar a ter bons desempenhos "para justificar este prémio".

Já o brasileiro Luisão, que sucedeu ao grego Katsouranis, agora no Panathinaikos, na categoria de "Jogador do Ano", disse que o prémio é "gratificante", tendo em conta o tempo que já leva de “águia ao peito”.

"Quando se tem tanto tempo no clube, ganhar um prémio destes é gratificante. Hoje em dia, é difícil ter tanto tempo num clube e continuar a ser valorizado.

O normal no futebol é ficar um ou dois anos e seguir para outro clube. Isto mostra o carinho que os adeptos têm por mim e agora quero corresponder mais ainda", afirmou.

O central deixou ainda o desejo de somar "o título" ao prémio recebido, o que seria "muito bom", mas salientou que "ainda há muita coisa para acontecer".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.