O selecionador Fernando Santos afirmou hoje que a convocatória de Portugal para o arranque da Liga das Nações de futebol foi feita de forma “atípica”, devido à covid-19, e por isso optou por chamar ‘velhos conhecidos’.

“Foi tudo feito em condições atípicas, com os jogadores a passarem por diferentes fases. Uns acabaram agora a época e estão de férias, outros estão a começar a pré-temporada ou então já estão em competição. São nove, 10 meses sem jogos, a falar pouco com os jogadores e, por isso, 95% da convocatória são jogadores que estão cá há mais tempo e que conhecem as novas ideias”, afirmou Fernando Santos.

O selecionador luso revelou que, apesar das mexidas de calendário, nenhum técnico lhe solicitou dispensa de atletas: "Não, não tive contacto com nenhum treinador que me solicitasse a dispensa de um jogador."

Fernando Santos, que falava na Cidade do Futebol, em Oeiras, numa conferência de imprensa em que as perguntas foram feitas pelos jornalistas através de uma aplicação móvel, confessou que vai aproveitar as três ‘janelas’ de jogos até final do ano para preparar o Europeu, que foi adiado para 2021, devido à pandemia.

“Entramos na Liga das Nações como entramos em qualquer competição, que é para ganhar. Não somos favoritos, nunca assumimos isso, mas somos sempre candidatos. Além dos jogos da Liga das Nações, vamos também ter alguns jogos particulares e queremos aproveitar para começar já a pensar no Euro”, disse o técnico de 65 anos.

Sobre as estreias do guarda-redes Rui Silva e do avançado Trincão, Fernando Santos explicou que os dois jogadores já eram seguidos há algum tempo e que foram chamados para que os possa “conhecer melhor”.

De regresso está o guardião Anthony Lopes, que já não era chamado desde a fase final do Campeonato do Mundo de 2018, que decorreu na Rússia.

“Não foi convocado por causa das exibições que fez agora na Liga dos Campeões. É um guarda-redes de grande qualidade, em que confio em absoluto. Teve um problema familiar que o impediu de, durante um tempo, estar na seleção. Felizmente, essa situação está ultrapassada. Era para voltar já em março, se tivesse havido convocatória”, revelou.

Mesmo habituado a estar alguns meses sem treinar, como selecionador, Fernando Santos assumiu que a paragem de nove meses nas competições, por causa do novo coronavírus, foi “realmente diferente”.

“Os selecionadores não estão habituados a ter trabalho de campo, de treino com frequência, mas, realmente, nove meses não é habitual. É muito tempo sem ter contacto com os jogadores, sem falar com os jogadores. Vamos aproveitar estes dias para trocar ideias e relembrar conceitos”, concluiu.

Em jogos do Grupo 3, Portugal começa a defender o título da Liga das Nações no dia 05 de setembro frente à Croácia, no Estádio do Dragão, no Porto, e três dias depois desloca-se a Solna, nos arredores de Estocolmo, para defrontar a Suécia.

A seleção nacional ainda não efetuou qualquer jogo em 2020, devido à covid-19. O último encontro aconteceu em 17 de novembro do ano passado, no triunfo por 2-0 no Luxemburgo, que valeu a qualificação para a fase final do Euro2020, que, entretanto, foi adiado para 2021, devido à pandemia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.