"A FPF, o seleccionador (Carlos Queiroz) e os técnicos desmentem que tenham abordado esta ou qualquer outra empresa, no sentido de solicitar este tipo de serviços", disse à Lusa o director de comunicação da federação.

Onofre Costa acrescentou que "a FPF tem meios internos que lhe permitem fazer a análise dos adversários da selecção portuguesa com o detalhe considerado adequado".

O mesmo responsável explicou que a empresa Scouting Network "enviou, voluntariamente, documentação a propor a avaliação dos seus serviços, dando um exemplo concreto", com uma compilação de dados sobre a selecção da Bósnia-Herzegovina, mas a FPF "não avançou para qualquer contacto.

Portugal venceu quarta-feira a Bósnia-Herzegovina, por 1-0, em partida da segunda mão do "play-off", disputada em Zenica, e qualificou-se para o Mundial da África do Sul, repetindo o resultado da primeira mão, em Lisboa.

Derek Bragg, fundador da Scouting Network em 2005, disse à Lusa que Queiroz sondou um representante da empresa em Portugal assim que o sorteio colocou a Bósnia-Herzegovina no caminho de Portugal, acrescentando que foi a primeira vez que trabalharam para a FPF.

"Por acaso tínhamos assistido ao jogo Espanha-Bósnia na semana anterior e o que aconteceu foi que preparámos um dossier com os perfis de todos os jogadores e a sua forma de jogar", disse Bragg.

"Se o Carlos (Queiroz) reconhecer que ajudámos, talvez volte a usar-nos na preparação do Mundial", acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.