A três dias de nova Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), espera que «para bem do futebol nacional» sejam colocadas de lado «divergências pessoais e politicas», de modo a «unir esforços para uma Federação mais forte e um futebol mais forte e a partir dai perspectivar nova direcção com ou sem Gilberto Madaíl».

«Não podemos perspectivar a votação se sábado. Esses ultimatos [FIFA e UEFA] não foram oportunos naquele momento. Acho que já se percebeu as dificuldades que acarreta este problema», disse à margem do Estoril Open, onde esteve esta quarta-feira.

Para que isso aconteça, comparou a actual situação com o 25 de Abril de 1974.« Fazendo aqui uma comparação, no 25 de Abril o presidente convocou os outros presidentes, quatro  figuras importantes a comungar sentimento comum», lembrou, acrescentando que «seja o secretário de Estado, seja a Federação ou a Liga não têm sido locomotivas».

Este sábado, dia 30 de Abril, há Assembleia-Geral da Federação para se discutir os Estatutos e se chegar a um consenso.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.