Paulo Bento defende que Portugal reage melhor quando tem de ir à procura de resultados do que a mante-los. Em entrevista à RTP Informação no programa "Trio de Ataque", o selecionador de Portugal diz acreditar no apuramento da seleção das quinas para o Mundial 2014.

«Não sabemos gerir situações de sucessos. Somos mais fortes a reagir à adversidade do que a gerir situações boas», afirmou Paulo Bento, dando como exemplo o jogo contra Israel, em que Portugal entrou praticamente a ganhar e depois não soube gerir o resultado, tendo conseguido o empate já na parte fina do encontro.

Sobre as contas do Grupo F do apuramento europeu para o Mundial 2014, o selecionador português defendeu que «a Rússia está em primeiro com mérito», por ter aproveitado erros que Portugal cometeu. Erros esses que são mais frequentes em fases finais das qualificações onde Portugal só tem «três dias para treinar», ao contrário das fases finais de Europeus e Mundiais onde «há 15 dias de trabalho» conjunto, o que permite melhores resultados.

Um dos temas abordados na entrevista ao canal público de televisão foi o rendimento de CR7 na seleção. Paulo Bento defende que «Ronaldo não pode ter sobre os ombros a responsabilidade de resolver todos os problemas» da equipa.

Paulo Bento descarta, para já, treinar algum clube. «O meu futuro passa por mais cinco jogos até outubro e dois do play-off em novembro», sublinhou.

Sobre a época que terminou, Paulo Bento aproveitou para elogiar o trabalho de Rui Vitória à frente do Vitória de Guimarães. «Sem desprimor pelos outros, gostava de diferenciar o trabalho de Rui Vitória», disse.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.