"É uma equipa que defende em bloco, no último terço do terreno e com uma concentração elevada de jogadores, com os dez ou mesmo onze. É uma equipa que vai obrigar-nos a ter muita paciência para controlarmos o jogo, porque é muito difícil entrar na zona defensiva contrária quando ela está muito povoada", disse esta tarde Oceano Cruz. E se a defesa adversária promete ser uma muralha, o seleccionador teme também as ofensivas no contra-ataque: "Saem de forma muito rápida, com quatro ou cinco elementos. Se não estivermos preparados eles vão criar-nos muitas dificuldades nesse tipo de lances."

O técnico português sublinhou ainda a capacidade dos jogadores macedónios em jogar "até à exaustão". "Temos de estar preparados para isso. Observámos os dois primeiros jogos e estamos prontos para uma equipa que luta muito e que é capaz de criar sempre dificuldades a qualquer adversário", afirmou.

Oceano Cruz deu ainda como aviso aos seus jogadores os últimos desafios da Macedónia, que só tem ainda um ponto na fase de apuramento para o Europeu de 2011, mas que vendeu muito cara as derrotas com a 'favorita' Inglaterra (1-2 e 3-6). "A Inglaterra passou aqui por muitas dificuldades. A equipa da Macedónia é um pouco parecida com a formação grega na forma como se entrega ao jogo e na forma como se batem em busca da vitória", concluiu o seleccionador, que espera que a equipa esqueça o desaire de sexta-feira contra a sua congénere helénica (1-2).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.