O treinador Paulo Bento cumpriu com 60,3 por cento de vitórias o seu trajecto de mais de quatro anos ao comando da equipa de futebol do Sporting, função da qual se demitiu no início da época passada.

Em 194 jogos oficiais, o novo seleccionador nacional, de 41 anos (nasceu a 20 de Junho de 1969), somou 117 triunfos, 46 empates (23,7 por cento) e 31 derrotas (16,0), com 311 golos marcados e 152 sofridos.

Paulo Bento estreou-se a 23 de Outubro de 2005 com um empate 2-2 em Barcelos, face ao Gil Vicente, e, três dias depois, ganhou pela primeira vez: 2-0 ao Varzim, para a Taça, com tentos do “Levezinho” e de Miguel Garcia.

O ex-técnico dos juniores conseguiu nessa primeira época 10 vitórias consecutivas na Liga, iniciado à 20.ª jornada (3-1 na Luz) e travado à 30.ª, em Alvalade, com um golo do “dragão” Jorginho, que afastou os “leões” do título.

A época seguinte foi a mais produtiva. A equipa voltou a sonhar até ao fim com o título, ficando a apenas um ponto dos “dragões” e sem derrotas fora (nove vitórias e seis empates), e conquistou a Taça (1-0 ao Belenenses, na final), troféu ao qual juntou, em 2007/2008, a Supertaça (1-0 ao FC Porto).

O Sporting viria a terminar o campeonato a 14 pontos do FC Porto, mas, ainda assim, voltou, como sempre, a ficar à frente do Benfica.

A eliminar, o Sporting fez o pleno, atingindo a final da primeira edição da Taça da Liga, que perdeu para o Vitória de Setúbal, na “lotaria” das grandes penalidades.

Na Taça, a equipa revalidou o título, num percurso marcado pelos 5-3 (após 0-2) ao Benfica, nas meias-finais, e pela vitória na final (2-0 ao FC Porto), graças a um “bis” no prolongamento do “herói” inesperado Tiui.

Na Liga dos Campeões, a equipa terminou o grupo na terceira posição, e acabou na Taça UEFA, atingindo os “quarto”, fase em que caiu face ao Glasgow Rangers.

Na época 2008/2009, o Sporting voltou a começar da melhor forma, ao reconquistar a Supertaça, com novo triunfo por 2-0 sobre o FC Porto.

No campeonato, terminou a quatro pontos do FC Porto, equipa pela qual viria a ser afastado na quarta eliminatória da Taça de Portugal, no desempate por grandes penalidades.

Em termos europeus, a época foi simultaneamente a melhor e a pior. Os “leões” alcançaram pela primeira vez os “oitavos” da “Champions”, mas acabaram humilhados pelo Bayern, com derrotas por 5-0 em Alvalade e 7-1 na Alemanha.

A equipa acabou ainda por perder a segunda final consecutiva da Taça da Liga, ao ser derrotada pelo Benfica no desempate por grandes penalidades, num jogo marcado pela arbitragem de Lucílio Baptista, que prejudicou os “leões”.

A época 2009/2010 começou muito mal, com uma desastrada pré-época a “contagiar” tudo o que se seguiu: o Sporting jogou sempre “sobre brasas”, raramente fugindo a uma confrangedora mediocridade exibicional e Paulo Bento decidiu sair.

Duas Taças de Portugal e outras tantas Supertaças, além de quatro segundos lugares no campeonato, foram a herança que deixou, mas acabou por não dar para se tornar o “Alex Ferguson” dos “leões”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.