"Carlos Queiroz é uma pessoa falsa". Deco fez um ataque feroz ao ex-seleccionador nacional na entrevista ao jornal Record, esta sexta-feira. O jogador do Fluminense e o técnico tiveram um diferendo no Mundial 2010, que levou ao extremar de posições agora assumido.

"Não quero falar muito sobre Queiroz, porque bater em mortos é complicado. Seria fácil falar agora dele", refere inicialmente Deco, mas as críticas ao ex-seleccionador nacional não tardaram a ser reveladas.

"Sempre evitei falar do que aconteceu, mas já que ele me citou, então também tenho de falar. Na verdade a história é totalmente ao contrário. A vontade do Queiroz era mandar-me embora. Eu sei que ele fez um pedido à Federação para que me mandasse embora e a Federação negou. Depois, voltou a tentar afastar-me e dessa vez numa conversa directa comigo e com outras duas pessoas, acusando-me de ter traído a selecção, de ter traído a confiança dele, de ter traído os meus companheiros, praticamente colocando-me de fora da equipa", afirmou o médio luso-brasileiro, que fez contra a Costa do Marfim o seu último jogo pela Selecção Nacional.

Depois do jogo com os marfinenses vieram as críticas e os posteriores recuos nas palavras, mas o mal-estar não desapareceu e Deco não mais jogou, tendo estado perto de deixar a comitiva.

"Não nego, tive vontade de ir embora. Mas, como disse, não fiz isso para não lhe dar esse gosto", sublinha Deco, concluindo: "Existem coisas na maneira de ser do Queiroz que eu não percebo e não é por uma questão de relacionamento. Nunca tive qualquer problema com ele. A única coisa que sei é que ele teve algumas atitudes que, para mim, foram incorrectas e portanto é uma pessoa falsa." 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.