Manuel José veio esta sexta-feira a público defender Paulo Bento e confessou já ter perdido a esperança de dirigir a seleção de Portugal.

"Desde 2004, ano em que deveria ter sido o técnico de Portugal no Euro, perdi qualquer esperança em ser selecionador. Os portugueses aqui não têm voz ativa, comigo não é o povo que mais ordena. Se ordenasse, sei que seria selecionador", disse, em declarações à Antena 1.

Sobre a saída de Paulo Bento, o antigo técnico dos iranianos do Persépolis FC defendeu que a renovação do contrato do técnico pode ter sido um erro.

"Quando se renova o contrato ao selecionador dois meses antes do Mundial é porque se tem confiança no treinador. Se foi Paulo Bento a demitir-se, então não aguentou a pressão, e essa é constante no futebol. Se ganhamos somos os melhores do mundo, se perdemos, a contestação logo aparece. Se foi a Federação a demiti-lo, é pior, porque renovou contrato ao selecionador antes do Mundial, deu-lhe mais poderes depois do mesmo e agora há despedimento por mútuo acordo. Não consigo entender. A opinião pública pode ter tido influência", disse o treinador.

O treinador falou ainda da renovação da Seleção, lembrando que é preciso saber conjugar a entrada de caras novas no plantel com a qualificação para o Euro2016.

"Renovação sem resultados não existe. Toda a gente e até a própria seleção pedem que haja sangue novo mas há também desejo de se alcançar a qualificação para o Euro 2016. Há uma grande pressão para renovar e essa renovação tem de resultar na qualificação para o campeonato da Europa em França", explicou o timoneiro de 68 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.