A seleção portuguesa de sub-21 venceu a congénere da Itália por 3-2, em jogo amigável disputado no António Coimbra da Mota. Os golos lusos foram marcados por Diogo Jota (bisou) e Diogo Gonçalves, que esteve em todos os golos dos comandados de Rui Jorge. O técnico aproveitou para estrear alguns jogadores como Diogo Leite, João Queirós e André Vidigal.

Par este encontro com a seleção anfitriã do próximo Europeu de sub-21, Rui Jorge escolheu o seguinte onze: Joel Pereira, do Manchester United, na baliza, defesa formado por Fernando Fonseca (FC Porto), Ferro (Benfica), Jorge Fernandes (FC Porto) e Yuri Ribeiro (Benfica). O a dupla de médios foi formada por Pêpê (Benfica) e Stephen Eustáquio (Desportivo de Chaves); Xadas (SC Braga), André Horta (Los Angeles FC) e Diogo Gonçalves (Benfica) nas alas, no apoio a Diogo Jota (Wolverhampton).

Já a Itália alinhou com: Simone Scuffet; Davide Calabria, Gianluca Mancini, Filippo Romagna e Raoul Petretta; Nicolò Barella, Manuel Locatelli e Alessandro Murgia; Vittorio Parigini, Cutrone e Daniele Verde.

No António Coimbra da Mota, no Estoril, Portugal exibiu-se a um bom nível, principalmente no primeiro tempo. O primeiro golo surgiu logo aos 12 minutos pelo avançado Diogo Jota, a encostar, ao segundo poste, um centro de Diogo Gonçalves. Um golo que surgiu um pouco contra a 'corrente' do jogo, já que eram os jovens italianos quem estavam por cima.

Mas Portugal não se importou com isso e mostrou eficácia aos 19 minutos, quando Diogo Jota voltou a marcar, fazendo o 2-0. O avançado aproveitou um erro de Calabria, que tinha perdido a bola para Diogo Gonçalves junto da linha de fundo. Segunda assistência no jogo para Diogo Gonçalves.

A resposta transalpina surgiu dez minutos depois, também a tirar partido de um erro individual da defensiva lusa. Um centro de Verde foi ter com Parigini que reduziu. Culpas para Fernando Fonseca, que falhou o corte.

Aproveitando alguns erros na saída para o ataque dos transalpinos, os sub-21 lusos ficaram perto do 3-1 por Diogo Jota, aos 31 minutos. O avançado podia ter feito o hat-trick mas rematou ao lado mais um bom passe de Diogo Gonçalves. Não marcou Diogo Jota, marcou Diogo Gonçalves, aos 44 minutos. Depois de assistir nos primeiros dois golos, o atacante do Benfica aproveitou um passe de Xadas para fazer o 3-1, após novo erro individual, agora do defesa Romagna.

Ao intervalo Rui Jorge tirou Yuri Ribeiro, Pepê, Joel Pereira, André Horta, Xadas, Stephen Eustáquio, Diogo Jota e Diogo Gonçalves e fez entrar Diogo Costa para a baliza, e ainda Pedro Amaral, Bruno Costa, Heriberto Tavares, Gil Dias, Bruno Jordão, João Félix e João Filipe.

E foi o jovem João Félix a dar o primeiro sinal de perigo, aos 48 minutos, num remate que Scuffet desviou para canto. Dez minutos depois o guarda-redes italiano voltou a brilhar, agora a remate de Heriberto Tavares, numa defesa vistosa.

A jovem formação italiana reduziu aos 59 minutos, numa grande penalidade convertida por Bonazzoli. O italiano tinha sofrido falta de Jorge Fernandes na área.

O jogo das duas equipas perdeu alguma organização e permitiu transições a Portugal, frente a um Itália que continuava a dar muito espaço aos jogadores portugueses. Nos minutos finais a Itália tentou o empate de todas a formas, mas a defensiva lusa foi resolvendo os lances de maior perigo.

A eficácia de Portugal no primeiro tempo, aliado aos erros defensivos dos italianos, acabaram por fazer a diferença, num jogo equilibrado em que Rui Jorge aproveitou para estrear alguns jogadores como Diogo Leite, João Queirós e André Vidigal.

A seleção portuguesa integra o grupo 8 de apuramento para o Europeu de 2019, no qual ocupa o segundo posto, a dois pontos da Bósnia-Herzegovina e menos um jogo, enquanto a Itália é a organizadora da fase final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.