"Temos de jogar da forma que a Grécia jogou na final do Europeu de 2004. Vamos imitá-los. A ideia é conquistar o meio-campo e sair a jogar para o ataque sempre que possível". A receita para a dupla jornada decisiva, a 14 e 18 de Novembro, contra Portugal foi dada pelo seleccionador da Bósnia, Miroslav Blazevic.

Reiterando a importância de "fechar todo e qualquer espaço", o técnico croata quer ver a sua equipa "fazer pelo menos um golo" em Lisboa. "Se não marcarmos na primeira-mão, em Portugal, as nossas hipóteses serão diminutas. Este é o maior teste da minha carreira e nunca estive tão preocupado. Precisamos de uma performance perfeita para eliminar Portugal", confessou.

A Bósnia-Herzegovina tem nove jogadores em risco de falhar a segunda-mão caso vejam um cartão amarelo, mas Blazevic não admite poupanças ou cuidados especiais nesse aspecto: "Temos de jogar nos limites e não pensar nisso."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.