O técnico brasileiro reconheceu, esta quarta-feira, que será estranho enfrentar Portugal, formação que orientou entre 2002 e 2008.

«Para mim e para o Murtosa (técnico adjunto) será um jogo diferente. Quando estávamos lá e jogámos contra o Brasil por duas vezes, foi estranho porque sentíamos um nó na garganta. Agora que terei de defrontar Portugal parece que sentirei o mesmo. Isto pelo carinho e pela amizade que nutro pelos portugueses», explicou em conferencia de imprensa, depois de divulgar os convocados para esse encontro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.