No final da derrota com a Noruega (1-0, em Oslo), Agostinho Oliveira foi instado a comentar a posição portuguesa e não teve receio em assumir a preocupação.

“Não fica famoso. É uma situação preocupante. Mas não podemos ver a situação por aquilo que aconteceu. Temos é de ver o que vai acontecer de futuro. Faltam seis jogos, são 18 pontos e vamos ganhá-los”, explicou.

Agostinho Oliveira falou numa situação “problemática”, já que o apuramento é um “campeonato pequeno”.

“Mas o futebol não deixa de ser uma caixa de surpresas. Tomámos conta do jogo, sobretudo no segundo tempo, mas tivemos um pequeno azar e esse ditou o jogo. Foi logo no início (21 minutos) e não conseguimos recuperar. Se calhar tivemos alguma intranquilidade, novamente”.

O seleccionador reconheceu que Portugal não “teve a felicidade ou o jeito” para marcar qualquer golo, mas até se mostrou satisfeito com a “atitude” dos jogadores.

“Estamos sem 11 jogadores que estiveram no mundial e isso, não servindo de desculpa, mostra que estamos com um plantel reduzido”, disse.

Sobre o seu futuro, Agostinho Oliveira explicou que os “últimos dias foram óptimos”, mas que cabe à Federação Portuguesa de Futebol tomar qualquer decisão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.