"Acredito que vai ser como se estivéssemos a jogar em casa, porque o apoio da nossa comunidade vai ser enorme. Acredito que os portugueses residentes na África do Sul vão apoiar a nossa equipa como os nossos adeptos nos apoiam quando jogamos em casa", disse Carlos Queiroz, à margem de uma reunião com Danny Jordaan, director do Comité de Organização do Mundial 2010.

O técnico está no país organizador do Mundial desde o início da semana em busca de uma sede para a selecção nacional durante a prova, mas deverá ficar no país até 4 de Dezembro, dia em que se realiza o sorteio da competição, na Cidade do Cabo.

Sobre o que a organização do Campeonato do Mundo poderá significar para África, Queiroz deixou um aviso: "Pode significar tudo porque é o primeiro Campeonato do Mundo a decorrer em África, pode permitir chamar a atenção para o verdadeiro significado do futebol em África. Mas, pode não significar nada se não houver capacidade para aproveitar esta oportunidade para desenvolver o futebol no continente."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.