Os jogadores do Cagliari, equipa da I Liga italiana de futebol, concordaram em abdicar do seu salário referente ao mês de abril, anunciou hoje o clube, que enfrenta dificuldades económicas devido à pandemia da COVID-19.

O presidente do clube, Tommaso Giulini, agradeceu aos jogadores pela sensibilidade que revelaram no seu desejo de contribuírem para salvaguardar o clube "num contexto particularmente complicado e difícil de prever".

"Conforme pedido pelos signatários do documento, esta atitude dos jogadores irá contribuir para uma drástica redução no desemprego parcial dos funcionários do clube", revelou o Cagliari no comunicado que emitiu.

A equipa da Sardenha era 12.ª classificado na Serie A quando a competição foi suspensa em 09 de março por causa da pandemia do coronavírus.

De salientar que os jogadores da Roma e o seu treinador, o português Paulo Fonseca, abdicaram de quatro meses de salários, enquanto a Juventus, de Cristiano Ronaldo, e o Parma anunciaram terem chegado a acordo com os futebolistas do plantel para uma redução dos ordenados, mas este princípio foi subscrito por todos os clubes durante uma Assembleia-Geral da Liga.

O governo italiano deu hoje um passo cauteloso em direção ao regresso dos treinos coletivos, previsto para 18 de maio, mas a decisão sobre um recomeço da I Liga foi adiada, embora a Federação e a Liga planeiem retomar o campeonato por volta de 14 de junho.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 283 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Quase 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.