Confirmado na Juventus por 100 milhões de euros, Cristiano Ronaldo é também um campeão na hora de fazer dinheiro, sendo um dos três atletas mais bem pagos do mundo graças à sua capacidade de rentabilizar a sua grande notoriedade.

Apesar de ter conquistado em maio o seu quinto título da Liga dos Campeões, o terceiro consecutivo com o Real Madrid, o craque português não é o atleta mais bem pago do mundo. De acordo com a revista Forbes, CR7 ocupa a terceira posição na lista dos mais bem pagos, atrás de Lionel Messi e de Floyd Mayweather, tendo amealhado 108 milhões de dólares (92,8 milhões de euros) em 2018, sendo que 61 milhões (cerca de 53 ME) são relativos a salários.

No passado mês de junho, Ronaldo chegou a acordo com o fisco espanhol na sequência das acusações de que estava a ser alvo por ter fugido ao fisco em cerca de 14,7 milhões de euros relativos a direitos de imagem do jogador. O avançado aceitou pagar uma verba de 18,8 milhões de euros para encerrar o caso.

Imagem vitalícia da Nike

Com 330 milhões de seguidores nas redes sociais, mais do que qualquer outro atleta, CR7 é uma marca extremamente atrativa. Desde a marca de relógios suíços Tag Heuer, passando pela marca japonesa KONAMI de videojogos ou a companhia aérea Emirates, todos estão dispostos a dar milhões por um segundo de publicidade em que Ronaldo apareça.

"Está muito bem equilibrado com uma dezena de setores de atividades muito diferentes e complementares", avaliou no ano passado à AFP Jean-Philippe Danglade, autor do livro "Marketing e famosos".

Contudo, foi com a americana Nike que CR7 assinou o contrato de maior duração. Principal rosto da marca de equipamento desportivo desde 2003, o avançado português passou a receber pelo menos 20 milhões de euros por ano da 'gigante' norte-americana depois da renovação de contrato. O jornal espanhol Marca acrescenta que a retribuição pode chegar aos 40 milhões de euros, caso algumas condições sejam cumpridas.

Ronaldo considera o vínculo vitalício: "Sou um membro desta família. É o melhor contrato que tive em toda minha carreira", declarou o português num vídeo publicado pela Nike.

Segundo a Forbes, entre o carismático Ronaldo e o tímido Messi, não há como comparar o lucro produzido pelo dinheiro investido entre Nike e Adidas, que patrocina o argentino. Em 2016, Ronaldo rendeu à Nike um total de 500 milhões de euros através das redes sociais, contra 'apenas' 53,3 milhões de Messi para a marca alemã.

CR7 por todos os lados

"Só uma foto no Instagram, depois da vitória de Portugal no Euro 2016, rendeu 5,8 milhões de dólares (quase 5 milhões de euros) à Nike", explicou a Forbes no último mês de março.

Longe de se dar por satisfeito, Ronaldo transformou o seu nome numa marca que pode encontrar em todo o lado desde 2006, quando inaugurou a marca de roupa interior CR7, na Madeira. Pouco depois, a empresa passou a produzir calças, sapatos e acessórios, seguindo o exemplo de David Beckham ou de Michael Jordan.

Em dezembro de 2013, também na Madeira, Ronaldo inaugurou um museu. Mais de 250 mil pessoas já visitaram o local para contemplar a sua coleção de troféus. Dois anos depois, em 2015, juntou-se ao grupo hoteleiro "Pestana" para criar o seu próprio hotel de quatro estrelas CR7.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.