A Juventus, acabada de perder a final da Taça de Itália, e a Lazio, já vencedora esta época da Supertaça, partem separadas por um escasso ponto para as últimas 12 rondas do campeonato transalpino de futebol.

Depois de mais de três meses de paragem devido à pandemia de covid-19, que matou mais de 30.000 pessoas em Itália, a Serie A regressa este sábado e a formação de Cristiano Ronaldo parte na frente, mas pouco, face à sensacional recuperação dos ‘laziale’.

A equipa da capital seguia no sétimo lugar à oitava jornada, a 10 pontos da líder Juventus, mas, depois disso, ganhou 16 de 18 encontros, cedendo apenas duas igualdades, ambas no Olímpico, no dérbi com a Roma (1-1) e na receção ao Verona (0-0).

Neste trajeto, os ‘biancoceleste’ superaram em casa a Juventus por 3-1, num encontro da 15.ª ronda em que os octocampeões em título até marcaram primeiro, por intermédio de Cristiano Ronaldo, o melhor marcador da ‘Juve’, com 21 golos.

O brasileiro Luiz Felipe, aos 45+1 minutos, o sérvio Milinakovic-Savic, aos 74, e o equatoriano e ex-‘leão’ Felipe Caicedo, aos 90+5, selaram a reviravolta, que então colocou a Lazio a três pontos da Juventus e cinco do Inter Milão.

Este resultado não foi um mero ‘acidente de percurso’, já que, no mesmo mês de dezembro, a Lazio replicou o 3-1, agora para conquistar a Supertaça de Itália, na Arábia Saudita.

Por seu lado, a ‘Juve’ perdeu a Supertaça para os romanos e, já após a retoma, caiu também na final da Taça de Itália, perante o Nápoles, pelo que a Serie A é o único troféu interno ao seu alcance – tinha conquistado pelo menos dois desde 2012/13.

A Juventus ainda comanda o campeonato, mas já desbaratou nove dos 10 pontos que chegou a ter de avanço sobre o ‘onze’ de Simone Inzaghi, que, da nona à 20.ª jornadas – adiou o jogo da 17.ª -, somou 11 triunfos consecutivos. Depois, cedeu duas igualdades em três jogos, que impediram o assalto à liderança.

A recuperação da formação romana pautou a Serie A, mas, face ao mau arranque dos ‘laziale’, a prova foi dominada até meio pela Juventus, de Maurizio Sarri, e o Inter Milão, de Antonio Conte, que se foram revezando no comando da prova.

O Inter arrancou melhor, com seis triunfos consecutivos, mas, à sétima jornada, a Juventus assumiu o comando, com um triunfo em San Siro, por 2-1, com tentos argentinos de Paolo Dybala e Gonzalo Higuaín. O compatriota Lautaro Martínez ainda empatou.

A ‘vecchia signora’ manteve um ponto de vantagem até à 14.ª ronda, na qual o Inter reassumiu o comando, que perdeu na última ronda da primeira volta. A ‘Juve’ sagrou-se campeã de inverno com 48 pontos, contra 46 do Inter e 42 da Lazio, então com menos um jogo.

O conjunto de Milão acabou mal a primeira volta e continuou a colecionar maus resultados no início da segunda, acabando ultrapassado pelos romanos à 24.ª ronda, face a um desaire precisamente no seu terreno, por 2-1.

A luta pelo título voltou a tornar-se um duelo a dois, mas agora entre a Juventus e a Lazio, que segue num ciclo de 21 jogos sem perder – a última derrota data de 25 de setembro de 2019, dia em que ‘caiu’ por 1-0 no recinto do Inter, à quinta ronda.

O conjunto de Turim persegue o 36.º título, para ficar com tantos como os rivais de Milão – AC Milan e Inter somam ambos 18 -, enquanto a Lazio vai em busca do seu terceiro, depois das vitórias de 1973/74 e 1990/2000, há 20 anos, com Sven-Goran Eriksson, Fernando Couto e Sérgio Conceição.

Com 12 jornadas por disputar, o desfecho da Serie A está completamente em aberto, sendo que, para a 34.ª ronda, de um total de 38, está agendada a receção da Juventus, de Cristiano Ronaldo (21 golos) à Lazio, de Ciro Immobile (27).

O Inter Milão, a nove pontos da ‘Juve’ e oito da Lazio, mesmo tento um jogo em atraso, está longe do título, mas bem lançado para chegar à ‘Champions’.

O outro lugar ‘premiado’ está na posse da Atalanta - a equipa com o melhor ataque da prova, com 70 golos, contra 60 da Lazio -, que, esta época, na estreia na prova, já está nos quartos de final (4-1 em casa e 4-3 fora, face ao Valência).

À espreita, no quinto posto, está a Roma, de Paulo Fonseca, que segue apenas a uma vitória do conjunto de Bérgamo e já com seis pontos à maior sobre o Nápoles, de Mário Rui, e nove face ao AC Milan, de Rafael Leão.

Na luta pela fuga à despromoção, Brescia (16 pontos) e SPAL (18) estão ‘afundados’ nos dois últimos lugares e o Lecce (25) no outro lugar ‘maldito’, mas perto de Génova (25), Sampdoria (26 e menos um jogo), Torino (27 e menos um jogo) e Udinese (28).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.