A Juventus recebeu e venceu o Inter Milão, este domingo, por 2-0, num jogo que decorreu à porta fechada, recuperando assim a liderança da Serie A. Cristiano Ronaldo, que realizou o jogo 1000 da carreira, ficou em branco, interrompendo assim uma série de 11 jogos consecutivos a marcar.

Numa partida marcada pela ausência de público nas bancadas, medida de prevenção devido ao surto do novo coronavírus Covid-19, a equipa de Turim entrou bem na partida, com o internacional português muito rematador, e foi na sequência de um canto conquistado por Ronaldo, aos seis minutos, que o central holandês De Ligt cabeceou com perigo à baliza defendida pelo guarda-redes esloveno Samir Handanovic.

Aos 15 minutos, Ronaldo abriu para Blaise Matuidi, mas o remate do francês foi defendido pelo guarda-redes do Inter Milão, e já na segunda parte, aos 54 minutos, a Juventus desfez a defesa do Inter e chegou à vantagem através de Aaron Ramsey (54'), aproveitando uma bola perdida no meio da área - terceiro golo do internacional galês na liga italiana.

Paulo Dybala entrou aos 59 minutos por troca com o brasileiro Douglas Costa e dos pés do argentino surgiu o 2-0, aos 67 minutos, num lance de génio em que finta vários adversários e remata sem hipóteses de defesa para Samir Handanovic.

Já no período de descontos, Ronaldo teve por duas vezes a oportunidade de chegar ao golo e aumentar a vantagem da Juventus, mas os remates do português falharam a baliza do Inter Milão.

A Juventus recuperou a liderança da Liga italiana, com 63 pontos, mais um do que a Lazio (segunda), e nove do que o Inter Milão, que manteve a terceira posição, com 54 pontos.

O Génova arrancou uma vitória por 2-1 em casa do AC Milan, com golos do macedónio Goran Pandev, aos sete minutos, e Francesco Cassata, aos 41, e de nada valeu para evitar a derrota o tento do sueco Zlatan Ibrahimovic, aos 77.

Com os três pontos conquistados no estádio Giuseppe Meazza, em Milão, o Génova deixou a zona de despromoção e ocupa agora o 17.º lugar, com 25 pontos, sendo a primeira equipa acima da linha de manutenção, com os mesmos pontos do Lecce (18.º).

O AC Milan, do português Rafael Leão, que saiu do banco aos 57 minutos, manteve o sétimo posto, com 36 pontos, e beneficiou do facto dos adversários mais diretos, Verona (oitavo) e Parma (nono), ambos com 35, terem também perdido.

O Verona perdeu por 2-1 em casa da Sampdoria, que deu a volta à desvantagem que nasceu de um autogolo do guarda-redes Emil Audero, aos 32 minutos, com um ‘bis’ de Fabio Quagliarella, aos 77 e aos 86, na conversão de uma grande penalidade.

A Sampdoria somou três pontos preciosos na luta pela permanência e segue agora na 16.ª posição, com 26 pontos e ainda um jogo em atraso, enquanto o Verona manteve o oitavo lugar, com 35, e falhou a ultrapassagem ao AC Milan.

A SPAL venceu por 1-0 em casa do Parma, do português Bruno Alves, colocando fim com o golo de Andrea Petagna, aos 71 minutos, de grande penalidade, a um ciclo de cinco derrotas consecutivas.

Com este triunfo, a SPAL entrega, embora que à condição, a lanterna-vermelha ao Brescia (20.º, com 16), que segunda-feira joga em casa do Sassuolo, e ascendeu ao 19.º lugar, com 18 pontos. O Parma manteve o nono posto, com 35 pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.