A Lazio vai apresentar-se em tribunal acusada de quebrar os protocolos para a COVID-19, anunciou a Federação Italiana de Futebol (FIGC) esta terça-feira.

Depois de uma investigação aos testes positivos do clube em outubro e novembro, procuradores federais decidiram levar o presidente da Lazio, Claudio Lotito e dois membros da equipa médica a tribunal.

São acusados de possíveis "violações das normas federais" e do "não cumprimento dos protocolos de saúde em vigor", lê-se no comunicado da FIGC.

A federação não detalhou quais os possíveis castigos, mas, se considerada culpada, a Lazio pode ser punida com um castigo que vai desde uma multa a dedução de pontos ou até mesmo a expulsão da Serie A.

A Lazio é acusada de não ter alertado as autoridades de saúde quando oito membros do staff testaram positivo no final de outubro, na véspera de um jogo da Liga dos Campeões em Bruges e depois, no início de novembro, antes de outro jogo da Champions, em São Petersburgo.

A UEFA obriga a que jogadores e staff sejam testados antes dos jogos europeus. Pelo menos um jogador da Lazio testou positivo nos testes da UEFA, mas negativo nos testes da Serie A realizados no mesmo periodo.

O comunicado da FIGC não especifica se os testes positivos foram de jogadores ou de outros funcionários do clube.

A federação também criticou a Lazio por "não ter prevenido" que três jogadores fizessem parte de um treino da equipa a 3 de novembro, apesar do teste positivo no dia anterior.

A Lazio é ainda acusada de ter usado jogadores na Serie A que deveriam estar "num período obrigatório de isolamento, com ausência de sintomas, de pelo menos 10 dias".

A FIGC afirma que a acusação centra-se num jogador que entrou em campo na vitória da Lazio frente ao Torino a 1 de novembro e outro que jogou no empate caseiro frente à Juventus, a 8 de novembro.

Apesar da FIGC não identificar os jogadores, o primeiro poderá ser Ciro Immobile, o melhor marcador da Serie A na última época.

O jogador teve de falhar os dois jogos da Champions devido aos testes da UEFA, mas a Lazio escolheu-o para jogar na liga, frente ao Torino, a 1 de novembro, depois de testes realizados no âmbito dos protocolos da Serie A.

Em comunicado, um porta-voz de Lotito afirmou mais tarde que tudo se tratou de "diferentes interpretações" das regras da COVID-19 .

"Este é uma questão referente às diferentes interpretações das regras da COVID-19, tanto nos termos do dever de comunicar às autoridades de saúde locais como na interpretação de como aplicar certos parâmetros do protocolo médico", disse Roberto Rao, porta-voz de Lotito, num comunicado publicado no site do clube.

"Esperamos a confirmação de uma audiência no tribunal federal. Confiamos na justiça desportiva, que vai estabelecer a correta reconstrução dos eventos e reconhecerá que o clube está totalmente alheio a qualquer responsabilidade", concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.