"Se o presidente quiser que eu vá embora, basta uma palavra", disse Leonardo no seguimento das declarações de Silvio Berlusconi em que o dirigente, e primeiro-ministro italiano, disse que não gostava da forma como a equipa jogava.

Leonardo explicou que já tem 13 anos de Milan, onde foi também jogador, e que basta uma palavra do presidente para que saia. "Não tenho problemas de contrato e o clube não teria que pagar a dois treinadores", acrescentou.

Durante um encontro com alguns dos seus colaboradores na política, Silvio Berlusconi referiu que o Milan "tem tudo para ganhar, se jogasse bem".

As declarações não foram bem acolhidas pelo treinador, com Leonardo a dizer que estes são momentos para se ter calma e depois de referir que a sua equipa jogou bem na derrota em casa com o Manchester United (3-2), na Liga dos Campeões.

O desaire em San Siro frente aos ingleses deixa o Milan com muitas dificuldades para seguir em frente na principal prova europeia de clubes.

Na Série A italiana as coisas não estão muito melhores, com a equipa a ser ultrapassada pela Roma no segundo lugar. O Milan é terceiro, a dois pontos dos romanos e nove do Inter Milão, de José Mourinho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.