O treinador do Inter, também penalizado com 40 000 euros de multa, foi acusado de ter contestado várias vezes as decisões arbitrais de forma grosseira, nomeadamente ao cruzar os punhos como se estivesse algemado, e por ter insultado o árbitro e os seus assistentes no túnel de acesso aos balneários.

Mourinho fez aqueles gestos na direcção do público e das câmaras, como se estivesse de mãos atadas e impedido de agir face às expulsões de Samuel e Córdoba ainda na primeira parte. O juiz da Liga alega que Mourinho contestou "repetidamente" as decisões do árbitro com "comportamentos teatrais".

Esta não é a primeira vez que Mourinho é suspenso em Itália, mas as sanções nunca tinham excedido um jogo. O juiz Gianpaolo Tosel justifica a decisão também com as “expressões injuriosas” contra os árbitros no acesso aos balneários e com os repetidos protestos contra a presença de autoridades da Liga perto dos bancos de suplentes.

Na partida com a Sampdoria, o Inter jogou uma boa parte com nove jogadores contra 11, pela expulsão dos seus dois defesas centrais, Walter Samuel (cartão vermelho directo aos 31 minutos) e Ivan Córdoba (segundo amarelo aos 38).

Deste modo, Mourinho não vai poder sentar-se no banco na visita à Udinese (26.ª jornada), na recepção ao Génova (27.ª) e na deslocação a Catânia.
Além de Mourinho, o argentino Cambiasso e o ganês Muntari foram suspensos dois jogos, o primeiro por ter tentado agredir um adversário no túnel e o segundo por insulto aos árbitros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.