O polêmico presidente do Palermo, Maurizio Zamparini, famoso em Itália pelas repetidas demissões e contratações de treinadores, anunciou que deixará o clube, numa altura em que circulam rumores do Palermo a investidores anglo-americanos.

A imprensa italiana calcula que Zamparini já demitiu meia centena de técnicos, vários deles em duas ou três ocasiões diferentes, como presidente de clubes de futebol, primeiro no Veneza e depois no Palermo.

A 26 de janeiro deste ano, o Palermo anunciou a contratação do uruguaio Diego López, o quarto treinador da equipa na atual temporada.

O Palermo, que neste fim-de-semana empatou 1 a 1 em casa com a Sampdoria, está na zona de despromoção do Campeonato Italiano.

Em relação à possível venda do clube, Zamparini não confirmou se venderá todas as suas ações, mas esta segunda-feira garantiu que em breve um novo presidente será nomeado por um consórcio anglo-americano que chega ao clube com o objetivo de colocar o Palermo em competições continentais num prazo de três a cinco anos.

"Peço a demissão, não serei mais o presidente do Palermo. Deixo tudo", declarou esta segunda-feira Zamparini, que no passado ameaçou abandonar as suas funções por diversas vezes.

O clube publicou um comunicado assinado por Zamparini anunciando a saída do dirigente: "O presidente Maurizio Zamparini anuncia que deixou o cargo de presidente do Palermo FC. Um novo presidente será nomeado em até duas semanas e seu nome será revelado em coletiva de imprensa em Palermo", pode-se ler no comunicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.