É a cara do pai, chapada, o que o distingue do seu progenitor é de natureza capilar, ele com uma farta cabeleira, Zinedine com uma calvície já pronunciada, e tem pinta de guarda-redes, felino, elástico e concentrado na função.

De resto, a comissão técnica responsável pela atribuição dos prémios, da qual faziam parte os ex-jogadores do FC Porto e Benfica Jorge Andrade e Armando Sá, hesitou entre ele o guarda-redes do Benfica Fábio Duarte na escolha do melhor guarda-redes do torneio, acabando por escolher este.

No final da partida, a Agência Lusa tentou falar com Luca Zidane, de 12 anos, mas este, educadamente, pediu desculpa, alegando não ter autorização para falar.

Um dos responsáveis pela comitiva do Real Madrid associou a recusa a uma «determinação do pai de Luca», tanto mais que todos os outros miúdos do plantel estavam «à disposição da imprensa», excepção feita ao guarda-redes.

O jogo foi emotivo, equilibrado e apitado por Duarte Gomes, que, no final, ficou a “arrefecer” à porta do balneário, enquanto o seu assistente tomava banho.

Não se tratava, porém, de um assistente qualquer, chama-se Vanessa Gomes, árbitro do quadro feminino, da I Divisão Distrital da Associação de Futebol de Lisboa: o apelido é o mesmo, mas não há qualquer parentesco com Duarte.

Aliás, Duarte Gomes só “apitou” porque o seu ex-colega Pedro Henriques foi proibido de tal missão pelo presidente do Conselho de Arbitragem da FPF.

«Carlos Esteves ameaçou que retiraria todos os árbitros do torneio se eu apitasse a final», disse à Agência Lusa Pedro Henriques, que foi homenageado pela organização do torneio, no qual participa desde 2000.

Essa ameaça tem uma explicação:

«Quando decidi abandonar a carreira não pedi licenciamento porque não recebi sequer um telefonema de Carlos Esteves. Por isso, levei com dois processos disciplinares em cima, um por fazer comentários para a TVI e outro por ter faltado a cursos.»

Na sequência desses processos, Pedro Henriques foi suspenso por dois anos.

Presente na festa do futebol infantil esteve o “magriço” Hilário, velha glória “leonina”, para quem a ausência do Sporting da final do torneio e de outras finais é «um sinal da decadência» do futebol de formação do clube.

«Vive da fama angariada. O Sporting já foi ultrapassado pelo Benfica e pelo FC Porto e continua a viver à sombra da bananeira», disse Hilário à Lusa, seguro de que é preciso «mudar, pessoas, métodos e estratégias porque a formação do clube parou no tempo e carece de modernização».

Na Pontinha, esteve também António Sequeira, ex-secretário geral da FPF, que revelou à Lusa que irá candidatar-se às próximas eleições da Federação, com os estatutos aprovados.

«Já tenho o programa na cabeça e as pessoas que pretendo levar na minha equipa, muitas das quais já contactei», revelou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.