A selecção portuguesa de futebol de sub-23 venceu a Inglaterra por 1-0 na final do International Challenge Trophy, com um golo de Yohan Tavares na estreia do defesa do Beira-mar numa equipa das “quinas”.

Com o seleccionador principal, Paulo Bento, a observar das bancadas, os jovens deixaram boa impressão, com uma defesa concentrada, um meio campo organizado e um ataque activo, que criou várias oportunidades de golo.

A vantagem no marcador foi obtida na segunda parte, aos 64 minutos, após um livre directo que Castro fez embater no poste esquerdo e na recarga Yohan Tavares rematou para a baliza.

O jogo começou bastante disputado e Portugal aproximou-se várias vezes da baliza dos ingleses, conquistando um canto aos oito minutos, mas Yannick Djaló não soube dar a melhor direcção ao passe de André Santos e saiu ao lado.

O avançado do Sporting falhou uma nova oportunidade momentos depois, quando a selecção portuguesa desperdiçou uma perda de bola dos ingleses junto à própria grande área.

A Inglaterra ia fazendo pressão mas a defesa lusa conseguiu afastar o perigo, por vezes de forma irregular, que valeram cartões amarelos a João Gonçalves e Yohan Tavares no espaço de dois minutos.

Portugal manteve o controlo da partida na primeira metade do jogo e fez ainda vários remates, sobretudo por Yannick Djaló, Saleiro, Pizzi e André Santos, mas sem sucesso.

Aos 35 minutos, um cruzamento de Castro encontrou Yannick Djaló a um metro da baliza mas este não conseguiu empurrar com força suficiente para o fundo da baliza, acabando a bola nas mãos de Preston Edwards.

Na segunda parte, o conjunto orientado por Paul Fairclough fez alguns remates, sobretudo de fora da área, mas sem grande perigo para a baliza de Ventura.
Aos 54 minutos, o guarda-redes do Portimonense quase deixou a bola à mercê de Donnelly quando defendeu um livre a dois tempos.

A oportunidade mais flagrante dos ingleses ocorreu já no período de compensação, quando, numa jogada de contra-ataque, Reece Styche surgiu do lado esquerdo e rematou cruzado mas ao lado da baliza.

Apesar de não ter concretizado nenhum dos remates que fez, Yannick Djaló foi recompensado com o prémio de melhor jogador durante os 90 minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.