Na conferência de imprensa após a derrota do Vitória de Guimarães frente ao FC Porto, Ivo Vieira considerou que um "Vitória enorme" merecia mais no jogo.

O jogo

"Eu acho que tivemos um jogos bem disputado entre duas equipas que quiseram ganhar o jogo, um FC Porto muito forte, mas frente a um Vitória enorme, com um apoio massivo dos nossos adeptos. Na verdade merecíamos mais. É verdade que depois de estar a vencer por 1-0 não podiamos sofrer o golo que sofremos e o FC Porto voltou ao jogo. Numa altura daquelas temos de ter mais concentração, não pensar que já fizemos de tudo para ter o jogo na mão. Nessa fase do jogo se intranquilizassemos o FC Porto conseguíamos tirar outro resultado, não foi isso que aconteceu, o FC Porto cresceu. De forma justa ou injusta, o FC Porto fez dois golos, nós só fizemos um, fizemos outro que foi invalidado, mas são situações que não vou comentar. Nao vou falar sobre isso, vou falar sobre futebol e acho que deviam de fazer o mesmo. Acho que temos de lutar para tornar o futebol português melhor e vocês são um veículo importante para levar essa mensagem"

O que falta para o Vitória bater o pé aos grandes

"É nítido a nossa grandeza fora de campo, acho que é bem visível o que arrastamos, num bom sentido, para os estádios. Dentro de campo temos de ter outro tipo de resposta, temos estado de um nível razoável para bom, é uma realidade que não temos conseguido quando ombreamos com os grandes, temos discutido mas depois faz a diferença no número de golos. A equipa joga, ataca muito, mas na concretização os ditos grandes tem feito a diferença nesse aspeto. Precisamos de crescer dentro do jogo, eu como treinador preciso de ser mais competente, melhor e é assim que a equipa vai crescer. Acho que o Vitória está a crescer, a diferença que está aqui faz-se na finalização, na concretização das oportunidades"

Faltou domínio no meio-campo

"Faltou-nos mais equilíbrio emocional depois de termos feito o golo, nós sabemos que o momento do golo é o mais sentido, com mais euforia, mas temos de descer rapidamente para o jogo, para a competividade do mesmo. Com o festejo do golo abrandámos um pouco, os jogadores lutaram pelo jogo, mas não creio que seja pelo meio campo. O André André esteve oito meses parado, é o segundo jogo que faz, está com algumas rotinas em falta. É com esse crescimento que vamos melhorar. Mas não acho que tenha sido o meio-campo a decidir o jogo. Os adversários têm a sua estratégia e nós temos de nos adaptar a ela"

Linha de cinco na defesa

"Não me parece que tenha sido linha de cinco, se calhar linha de quatro. A ideia era atrair para fazer jogo interior através dos extremos. A ideia era atrair o FC Porto"

Competições Europeias

"Na Liga Europa a equipa foi crescendo, é verdade que não teve resultados tão bons nos primeiros jogos, mas nos três últimos empatou duas vezes e ganhou um. A equipa foi caminhando e crescendo naquela dimensão. Se estivermos sempre a jogar com os grandes é bom sinal, é sinal que estamos em cima. É verdade que temos muita juventude, mas eu não me costumo esconder atrás da cortina. Por aquilo que produz a equipa devia de ganhar mais"

Substituição de Lucas

"Eu normalmente faço a observação ao segundo do que acontece no jogo. O Lucas trabalha muito para a equipa, mas teve uma semana agastada. Estava cansado. A intenção foi colocar um homem na frente para chegar à área. Quando se acrescenta mais um ponta de lanca a ideia é fazer mais jogo interior e libertar mais os laterais. Perante o que eles fazem, mereciam ter muito mais eficácia. Mas isso depende da qualidade de execução e do seu treinador também que tem de os ajudar"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.