O representante do Sporting no sorteio da terceira fase da Taça da Liga de futebol, Manuel Fernandes, considerou hoje, no Porto, o emparelhamento dos grupos “equilibrado” e disse que os ‘leões’ vão “fazer tudo para defender o troféu”.

O Sporting ficou inserido no grupo D, juntamente com Marítimo, Feirense e Estoril Praia, tendo ainda o sorteio das grelhas determinado que os ‘leões’ – tal como Benfica (grupo A), Sporting de Braga (B) e FC Porto (C) - atuassem duas das três jornadas em casa.

“Tivemos a sorte de jogar dois jogos em casa [Marítimo em 16 de setembro e Estoril Praia em 31 de outubro], mas, acima de tudo, há que defender o troféu, porque é nosso, uma vez que fomos os últimos a vencê-lo”, disse Manuel Fernandes na sede da Liga de clubes, no Porto.

O dirigente recordou que já houve equipas de menor dimensão a conseguir superar na final as teoricamente de maior e a chegar ao título, como o Moreirense, há duas temporadas, e o Vitória de Setúbal, na primeira edição da prova.

“O Sporting tem todas as possibilidades de seguir em frente e não só por ser o detentor do troféu, mas também tem de demonstrar essa superioridade sobre os outros adversários, sempre com respeito. Mas é o favorito número um neste grupo”, disse.

Manuel Fernandes considerou ainda que “jogar com o Marítimo em casa é melhor do que na Madeira” e alertou que o Sporting encerra esta fase em casa do Feirense, uma “equipa aguerrida, com muito talento e sempre difícil de defrontar no seu reduto”.

Em representação do Marítimo, ex-futebolista Briguel também considerou o grupo equilibrado e com o fator casa a poder ser determinante no posicionamento das equipas rumo à ‘final four’ de Braga, apontando o Sporting como sério candidato a lá chegar.

“Era preferível jogar dois jogos em casa e um fora, mas este foi o sorteio que nos calhou. Agora há que encarar com otimismo e ambição e tentar passar esta fase”, disse Briguel, recordando que a equipa madeirense já chegou por duas vezes à final.

O foco do Marítimo, ainda de acordo com Briguel, é o campeonato, mas a equipa não enjeita a possibilidade de, a exemplo de outras edições da prova, “em que ultrapassou grande equipas – e não há duas sem três – jogar para chegar à fase final”.

“Em janeiro [‘final four’ decorre de 19 a 26] há uma sobrecarga de jogos, e temos de ponderar bem se vale a pena. Vamos fazer jogo a jogo e depois, quando chegarmos nessa altura, vamos refletir e ponderar, porque essa será uma fase desgastante”, disse.

Em nome do Sporting de Braga, o ex-jogador Alan assumiu o favoritismo da equipa ‘arsenalista’ no grupo B, que integra ainda Tondela, Vitória de Setúbal e Nacional e cujo vencedor se cruza nas meias-finais com o do grupo D.

“O Sporting de Braga é favorito porque tem dois jogos em casa [Tondela em 16 de setembro e Nacional em 31 de outubro], mas temos de fazer o nosso papel, ganhar. O grupo é complicado, mas temos tudo para passar”, considerou.

Alan minimizou o afastamento dos minhotos da Liga Europa, considerando que já faz parte do passado, uma vez que o plantel já só pensa no Santa Clara (segunda jornada da I Liga) e formulou o desejo de o Sporting de Braga marcar presença na final da Taça da Liga, em casa, e erguer o troféu.

“Não só os jogadores, mas também os adeptos merecem ver a equipa na final e a levantar a Taça da Liga em casa”, explicou Alan, salvaguardando que o Sporting de Braga terá pela frente “jogos complicados, mas em que tudo pode acontecer”.

O vencedor do grupo A, que integra o Benfica, Rio Ave, Desportivo das Aves e Paços de Ferreira, irá defrontar nas meias-finais o vencedor do C, composto por FC Porto, Desportivo de Chaves, Belenenses e Varzim.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.