O Sporting está na final-four da Taça da Liga, ao vencer o Portimonense por 4-2, em jogo do Grupo C da prova. A vitória permite aos 'leões' terminar no topo do grupo com seis pontos, mais quatro que Portimonense e Rio Ave. Os vila-condenses, que podiam apurar-se também, perderam por 1-0 com o Gil Vicente.

Em Portimão, os 'leões' estiveram a perder por 2-0, com golos de Jackson Martinez e Mathieu (autogolo) mas conseguiu dar a volta ao jogo, com tentos de Vietto, Rafael Camacho, Gonzalo Plata e Luiz Phellype. A equipa de Silas jogou todo o segundo tempo com menos um jogador, já que Bolasie foi expulso aos 45 minutos.

Veja as melhores imagens do jogo

Muitas contrariedades para Silas no ataque

A deslocação ao Algarve não foi nada fácil para Silas, que teve de tomar várias decisões antes do apito inicial. Primeiro teve de dispensar Jesé Rodriguez, que foi pai. Mais tarde, soube que teria Luiz Phellype só podia ser utilizado em caso de emergência: o avançado brasileiro esteve a braços com uma gastroenterite, pelo que estava muito debilitado fisicamente.

Já Folha aproveitou este encontro da Taça da Liga para rodar e muito a equipa. Em relação ao jogo com o Rio Ave, para a Liga, só manteve Koki Anzai. Gonda, Willian, Junior Tavares e Rodrigo Freitas foram lançados no onze, numa equipa que jogava em 3-5-2. Um esquema que o Sporting demorou muito contrariar.

Antes de entrar em campo, os 'leões' sabiam que não dependiam de si para garantir um lugar na próxima fase da prova. o Sporting precisava de vencer e esperar que o Rio Ave não ganhasse ao Gil Vicente. O Portimonense teria de fazer o mesmo resultado do Rio Ave (e marcar mais um golo que os vila-condenses), desde que não perdesse, para não ser ultrapassado pelo Sporting na tabela.

3-5-2 de Folha baralhou o Sporting

Os algarvios entraram melhores, jogando em toda a largura, com os alas Júnior Tavares e Koki Anzai muito apertos no terreno, sempre com liberdade para atacar a profundidade. Depois dos avisos de Jackson Martinez e Dener, a equipa de António Folha ganhou vantagem aos 16 minutos, numa grande penalidade convertida por Jackson Martinez. O lance nasce de uma disputa de bola entre Rafael Camacho e Júnior Tavares, depois de uma grande defesa de Maximiano, a negar o golo a Jackson Martinez. O árbitro João Pinheiro considerou que o jovem extremo do Sporting fez falta sobre o lateral/ala algarvio.

Só aos 25 se viu o primeiro remate do Sporting, por Bolasie, num tiro de longe que o guarda-redes japonês Gonda encaixou. Os voltaram a travar um duelo curioso aos 27 minutos, quando o congolês apareceu na cara do japonês mas Gonda fez a mancha e evitou o empate.

Não marcou o Sporting, marcou o Portimonense. Um minuto depois de Jackson ter cabeceado para fora um canto, os algarvios chegaram ao 2-0, numa infelicidade de Mathieu: centro tenso de Aylton, Mathieu antecipou-se a um contrário mas desviou para a própria baliza, aos 31 minutos.

Sete minutos, respondeu o Sporting e desta vez com golo. Bruno Fernandes conduziu pelo meio, viu a entrada de Vietto e colocou-lhe a bola com peso, conta e medida. O argentino saltou sozinho e desviou de cabeça, para o fundo das redes.

Silas via a sua equipa reagir mas mesmo, antes do intervalo, vai ter nova contrariedade, aos 45 minutos. João Pinheiro considerou que Bolasie atingiu Willyan na cara e mostrou-se o amarelo, o segundo no jogo. Uma má decisão do árbitro, que seria facilmente revertida pelo VAR,... se existisse vídeo-árbitro no jogo. Não há falta do congolês do Sporting.

Recuperação fantástica: três golos mesmo a jogar com menos um

Os algarvios voltaram melhores para o segundo tempo e atiraram ao poste aos 47 minutos, num lance em que Aylton Boa-Morte tinha tudo para marcar. Valeu uma grande defesa de Maximiano, a desviar o remate do jogador algarvio para o poste.

Num jogo de parada e resposta, Vietto vai ter nos pés o 2-2 aos 51 minutos, depois de uma subida de Coates no terreno, mas o argentino, apertado por um contrário, rematou ao lado. Aos 54, novo remate de Vietto, a rasar o poste.

O Sporting crescia, dava sinais de querer empatar, mesmo a jogar com menos um. Silas aproveitou para arriscar mais, lançando Luiz Phellype para o lugar de Ristovski e Gonzalo Plata no posto de Doumbia. Folha respondeu com Tabata no posto de Fernando.

De tanto insistir que o empate chegou, aos 77 minutos. Rafael Camacho, a jogar a lateral direito, subiu no terreno, bailou sobre um adversário e rematou forte, de pé esquerdo, fazendo um golaço. Fantástico!!!

A final-four ficava a apenas a um golo de passar para a frente e ele viria a chegar aos 84 minutos. O Portimonense ganhou um canto, a bola foi tirada para fora da área, um defensor algarvio perdeu o esférico e deixou a sua equipa em inferioridade numérica. Bruno Fernandes correu, serviu Plata que recebeu e bateu Gonda pela terceira vez, fazendo a reviravolta no encontro.

No quarto minuto de descontos dados por João Pinheiro, Luiz Phellype aproveitou um centro de Vietto para fazer o 4-2 final.

Recuperação fantástica do Sporting, que esteve a perder por 2-0 e jogou toda a segunda parte com menos um. No outro jogo o Gil Vicente venceu o Rio Ave por 1-0, pelo que o Sporting termina o Grupo C com seis pontos, mais dois que os algarvios e os vila-condenses.

Veja o resumo do jogo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.