"Vamos ter de encurtar o plantel em Janeiro pelo que, se já iríamos apresentar algumas alterações, por causa das limitações, o encontro também servirá de teste para os jogadores demonstrarem se querem ou não querem continuar, pelo menos até ao final da época, no clube", disse Jorge Costa, na antevisão da partida.

Embora sem quaisquer hipóteses de se apurarem para a próxima fase - o Estoril lidera com quatro pontos, o Paços de Ferreira tem um ponto e o Olhanense ainda não pontuou -, os algarvios prometem encarar a partida com seriedade.

"Estamos numa competição de prestígio. Mesmo sabendo que em termos de perspectivas de futuro não temos nada a ganhar, trata-se de um jogo oficial num grupo onde duas equipas ainda discutem o apuramento. Acima de tudo temos de ser sérios, honestos, dignificar o clube, dar o nosso melhor e lutar pela vitória", frisou o técnico.

O emblema de Olhão vem de oito jogos consecutivos sem ganhar (campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga) e precisa de uma vitória para ganhar moral: "Qualquer vitória moraliza, ainda para mais numa fase em que já estamos há muitos jogos sem vencer e a seguir vem uma paragem do campeonato".

Para o encontro com o Paços de Ferreira, Jorge Costa não pode contar com cinco internacionais sub-21 (Ventura, João Gonçalves, Castro, Ukra e Rabiola), dois jogadores lesionados (Djalmir e Paulo Sérgio) e um castigado (Miguel Garcia).

A partida entre algarvios e pacenses está marcada para domingo, às 15:00 horas, no Estádio José Arcanjo, com arbitragem de Luís Catita (Évora).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.