O Benfica atravessa a sua melhor fase da época até ao momento e ontem deu provas que continua em fase ascendente. Uma boa exibição em Moreira de Cónegos, com grandes jogadas individuais e com um jogo muito vistoso. A equipa lisboeta está mais forte e os rivais sabem disso.

Numa altura em que FC Porto e Sporting já estavam arredados da Taça da Liga, o Benfica deu provas que continua a crescer e não quer parar por aqui. É o único dos ditos três ‘grandes’ que segue em prova. A Taça da Liga continua a ser desvalorizada - até porque os jogadores menos utilizados nas provas mais importantes têm mais espaço aqui - e, mesmo assim, a equipa encarnada demonstou que tem um plantel conciso. Face ao último ‘onze’, Rui Vitória repetiu apenas três jogadores: Jardel, Samaris e Renato Sanches. Mas a grande novidade foi mesmo Gaitán, que não era titular há praticamente um mês, uma das duas estrelas da partida.

Além do argentino, o brasileiro Talisca também mostrou ao técnico dos encarnados que está no plantel para ser chamado mais vezes. O número 30 do Benfica foi responsável por abrir o marcador, de grande penalidade, e de bisar dois minutos depois, aqui com o toque de magia de Nico Gaitán.

Além de assistir, Nico também marcou. E que grande golo. Num grande trabalho do argentino na área do Moreirense, tirou dois adversários do caminho, sentou Nilson e atirou para o fundo das redes.

Com três golos sofridos, o Moreirense não deitou a toalha ao chão, aproveitando que ainda estava quente e reagiu logo de seguida. Com um grande trabalho individual, Iuri Medeiros correu até à baliza de Ederson Moraes, fugiu de Jardel, e marcou. O 1-3 no marcador podia ter dado alento à equipa da casa, se não fosse por Raúl Jiménez. João Sousa tentou afastar a bola, mas Jiménez chegou a tempo de lhe roubar a bola, fazendo de seguida o chapéu a Nilson. André ainda fez o corte, mas o árbitro considerou que a bola já tinha entrado.

Sim, cinco golos em 30 minutos. Um início frenético e recheado de bons momentos de futebol. Se todos os jogos fossem assim, as noites a meio da semana não teriam de ser aborrecidas.

Se o começo foi muito bom, a parte final também não desiludiu. Aos 83 minutos, Talisca achou que ainda havia espaço e tempo para mais um e o brasileiro encheu o pé para fazer voar a bola sobre a área e fazer o ‘hat-trick’. Gaitán também achou que deveria fazer um mais neste seu regresso e, com a ajuda de Gonçalo Guedes, selou o marcador em Moreira de Cónegos. Uma grande noite para os dois jogadores.

O jogo ficou ainda marcado pelo excelente ambiente nas bancadas do Parque Desportivo Comendador Joaquim de Almeida Freitas, onde os adeptos encarnadoa gritaram os nomes de Eusébio e Miklos Fehér.

Rui Vitória não quis rotular esta como a melhor fase do Benfica, preferindo destacar que as coisas são pensadas jogo a jogo, mas sempre revelou que a equipa está num bom momento.

"Objetivamente, os resultados dizem isso. Mas a nossa preocupação é ganhar jogos, não nos preocupamos com questões de fases. Importante é plhar para o adversário, para o jogo, e quere-lo ganhar em todos os momentos e nisso os jogadores têm sido fantásticos", destacou no final da partida.

O Benfica conseguiu, com uma exibição de encher o olho, marcar presença pela sétima vez consecutiva nas meias-finais da Taça da Liga e fica à espera do embate entre o Rio Ave e o SC Braga (quarta-feira, às 18h15). O vencedor do grupo marcará encontro com o Benfica, que já venceu este troféu por seis vezes.

Se gostaram deste Moreirense e Benfica não se preocupem porque domingo (19h15) há mais uma sessão, desta vez para o campeonato.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.