Foram mais de 10 mil adeptos que se deslocaram ao Estádio do Restelo para assistir ao primeiro clássico da temporada. O jogo não era a doer e o resultado de pouco importava, mas um clássico é sempre um clássico e as claques não pararam de cantar ao longo dos 90 minutos. Pelo meio houve indícios de dérbi a valer, com penáltis reclamados, umas quantas faltas duras e um golo muito festejado pelos adeptos leoninos.

No final foi (mais uma vez) o Sporting que conquistou a Taça de Honra da AF Lisboa, com uma vitória convincente sobre o Benfica por 1-0, graças a um golo de André Martins no primeiro tempo. A posse de bola foi muito dividida, mas os leões, com grande parte da equipa inalterada em relação à ultima temporada, foram sempre mais incisivos no ataque e criaram as oportunidades mais flagrantes.

A estória do dérbi

O primeiro lance de perigo foi logo aos 6 minutos, com Carrillo a aproveitar um mau alívio da defesa encarnada para assistir André Martins, que remata à boca da área para defesa atenta de Artur. Pouco depois foi Fredy Montero quem ameaçou um golaço. O avançado colombiano domina com classe de costas para a baliza e atira à meia-volta, pouco ao lado das redes encarnadas.

O Benfica demorou a responder mas quase abria a contagem com um atirador improvável. O lateral Luís Felipe arriscou uma “bomba” do meio da rua aos 33 minutos e só não marcou porque a bola rasou junto ao poste de Marcelo Boeck. Foi a melhor oportunidade do primeiro tempo para o Benfica, que via Ola John e Gaitán algo inconsequentes nas alas e a dupla Lima-Cardozo muito isolada na frente. Talisca voltou a mostrar bons pormenores, mas só isso não chegava para construir os ataques.

Mais acutilante na vertente ofensiva, o Sporting chegou ao golo aos 42 minutos, com André Martins a finalizar após contra-ataque rápido de Carrillo. Artur ainda tentou desviar, mas o marcador já estava inaugurado pelos leões.

Ao intervalo, os adeptos benfiquistas reclamavam de duas grandes penalidades que teriam ficado por marcar, primeiro por uma entrada de Jefferson sobre Lima e depois por uma alegada falta de Rosell sobre Gaitán. Os dois lances são duvidosos, mas o árbitro Rui Rodrigues deixou passar.

O leão sempre por cima

Já com João Mário em campo, e em bom plano, o Sporting voltou a começar melhor o segundo tempo e quase ampliava a vantagem aos 50 minutos. Adrien remata rasteiro após alívio de Jardel, mas Artur nega o segundo aos leões. O guarda-redes brasileiro voltou a ser precioso 10 minutos depois, a segurar uma tentativa de chapéu de Montero, bem assistido por Adrien.

A entrada de muitos suplentes abrandou o ritmo da partida e o Sporting segurou a vantagem magra até ao final. Marco Silva saiu do Restelo com boas indicações dos seus pupilos, que conseguiram revalidar o título da Taça de Honra da AF Lisboa. Já Jorge Jesus terá necessariamente de afinar alguns pormenores da máquina encarnada, até porque o primeiro jogo a doer é já a 10 de agosto, no jogo da Supertaça contra o Rio Ave.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.