O campeão português Benfica manteve esta pré-época a veia goleadora da última temporada e parte com ligeiro favoritismo para a Supertaça de futebol, na qual vai defrontar no sábado o rival FC Porto, detentor do troféu.

Nas 10 vezes que se encontraram na Supertaça, os “dragões” venceram nove e apenas foram derrotados na edição de 1984/85.

Contudo, atendendo à pré-temporada de ambas as equipas, o Benfica parte com algum favoritismo para o jogo do Estádio Municipal de Aveiro.

Em 10 encontros de preparação, o Benfica somou sete triunfos, um empate e duas derrotas, marcando 29 golos – média de quase três por jogo - e sofrendo 13.

Apesar da saída do argentino Angel Dí Maria, transferido para o Real Madrid, e do brasileiro Ramires, transferido para o Chelsea, continua a demonstrar grande poder de fogo, com destaque para o argentino Javier Saviola e o paraguaio Óscar Cardozo, ambos com cinco golos.

No entanto, se no ataque a equipa tem estado implacável, a defesa tem sido mais permissiva, com o guarda redes espanhol Roberto, que substituiu Quim, a deixar ainda dúvidas, sobretudo, devido aos 8,5 milhões de euros pagos pelo seu passe.

É também na defesa que têm estado os principais problemas do FC Porto, que vem de duas derrotas no Torneio de Paris, nas quais sofreu três golos de bola parada.

A ausência do capitão Bruno Alves, que se transferiu para o Zenit, tem sido a mais sentida, com Maicon e Sereno a lutarem por um lugar ao lado de Rolando, mas sem conseguirem fazer esquecer o capitão.

Nos sete jogos de pré-temporada, o FC Porto somou quatro triunfos, um empate e duas derrotas – nos dois derradeiros testes -, e marcou apenas 10 golos e sofreu seis.

Apesar dos dois clubes terem várias caras novas, não deverão ser muitos os estreantes nos “onzes” iniciais, sendo que o FC Porto deverá apenas apresentar o ex-“leão” João Moutinho, talvez a mais surpreendente transferência do defeso.

No Benfica, o guarda redes Roberto, muito defendido por Jorge Jesus, tem a titularidade praticamente assegurada, podendo ser acompanhado pelos argentinos Nicolas Gaitan e Franco Jara.

Também em estreia em “clássicos” está o novo treinador do FC Porto, André Villas Boas, que, aos 32 anos e depois de cortar o “cordão umbilical” com José Mourinho, tem o seu primeiro grande teste ao serviço dos “dragões”.

24 anos mais velho, Jorge Jesus faz a segunda época ao serviço do Benfica, equipa com a qual venceu dois dos três “clássicos” com o FC Porto que disputou na temporada passada, um dos quais na final da Taça da Liga, por 3-0.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.