Duarte Gomes foi um dos oradores da 2.ª Conferência Bola Branca, da Rádio Renascença. O antigo árbitro que é membro do Conselho Nacional do Desporto falou do alegado insulto racista do médio argentino Colombatto, do Famalicão, a Pepe, central do FC Porto, na 2.ª mão das meias-finais da Taça entre azuis e brancos e famalicenses no Dragão (3-2 para os portistas).

O internacional português apresentou uma queixa-crime contra o argentino mas, para o antigo árbitro, será muito difícil de provar. Uma das formas de lá chegar será usar o áudio das conversas entre o VAR e o árbitro de campo, neste caso, Manuel Mota, mas o juiz do encontro teria de estar muito próximo para captar o som das palavras.

"Sobre o uso da tecnologia, há regras definidas pela International Board, está formatada para a decisão e processo de decisão. Se é elemento de prova válida, nessa questão da intolerância nesse caso concreto de racismo, ou eventual ato racista, pode ser usado como prova, se fosse esclarecedor", começou por dizer.

"Mas julgo que não seria, porque o árbitro tem o micro e se estivesse a dois ou três metros do jogador em questão que teria proferido esse impropério, não teria ouvido, ninguém teria escutado. Mas, a fazer-se prova, porque não?", explicou.

Para Duarte Gomes, iremos "ter sempre casos pontuais desta natureza".

"O Pepe diz que disse e diz que ouviu, o outro jogador diz que não disse, portanto é muito difícil conseguir uma relação de verdade em relação ao que aconteceu. Tudo isto tem uma base cultural. Somos um país em que usamos a latinidade para desculpar tudo. Somos latinos e isto é um chavão fantástico para perdoar insultos, impropérios, violência, excessos e etc", completou.

No dia 05 de maio, Colombatto que foi acusado por Pepe de insulto racista, garantiu que o capitão do FC Porto não está a dizer a verdade. Numa mensagem na sua conta de Instagram, o médio famalicense revelou o que disse ao defesa do FC Porto, garantindo que procurou o adversário no final do encontro, em que os ‘dragões’ venceram por 3-2, para esclarecer o sucedido.

"[…] A aconteceu algo muito triste durante o jogo com o FC Porto. Não foi a derrota nem a eliminação. Um futebolista da equipa rival, que admito e considero como uma referência, acusou-me falsamente de o ter apelidado de ‘mono’ (macaco). Quero pensar que foi um equívoco, que não ouviu corretamente o que eu lhe disse, mesmo que depois de analisar o seu comportamento posterior tenha dúvidas sobre isso”, escreveu o jogador do Famalicão.

Numa mensagem na sua conta de Instagram, o médio famalicense revelou o que disse ao defesa do FC Porto, garantindo que procurou o adversário no final do encontro, em que os ‘dragões’ venceram por 3-2, para esclarecer o sucedido.

“As minhas palavras foram textualmente 'deste-me uma patada, idiota'. Há imagens para o comprovar. Além do mais falei-lhe num tom próximo e amigável, dentro do que é um contexto de um jogo e em consonância do que a figura de Pepe significa para mim. Tanto assim é que depois do que aconteceu procurei-o nos balneários para esclarecer o sucedido, mas ele nem quis ouvir-me”, revelou ainda.

Colombatto condenou ainda qualquer ato racista demarcando-se de qualquer atitude que o possa relacionar a isso.

“Nunca tive uma atitude ou um comentário racista durante a minha carreira profissional ou enquanto criança. Nem permito que estas ofensas aconteçam na minha presença. Os meus valores estão acima de tudo. Posso ter mil defeitos, mas racismo não é um deles e não vou permitir que ninguém manche o meu nome deste modo. Não deixarei que o meu filho ouça da boca de ninguém que o seu pai é racista. O racismo é uma nódoa na sociedade e no desporto, juntos temos de conseguir erradicá-lo. Mas desta forma, lançando acusações falsas, não o vamos conseguir. É tão grave cometer um ato racista como inventá-lo para prejudicar alguém", escreveu o médio argentino.

No final, Colombatto deixa uma mensagem para Pepe.

“Pepe, a dor que a tua acusação gerou na minha família e em mim é indescritível, mas toda a gente tem o direito de errar e a minha mão estará sempre estendida para esclarecer o sucedido. Oxalá reconheças o teu erro para voltares ao lugar que te corresponde como referência no mundo do futebol, e assim estares à altura do emblema que defendes", sublinhou.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Famalicão reitera que se mantém ao lado do jogador, tal como o treinador João Pedro Sousa havia dito em conferência de imprensa no final do encontro com o FC Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.