Em conferência de imprensa de antevisão do embate da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal com o Benfica, o técnico do FC Porto lembrou que a desvantagem de 2-0 «vai ser difícil, mas não impossível, de dar a volta».

«Impossível não é. É importante mostrar um sinal forte desde o inicio e perceber a desvantagem que temos. O FC Porto tem uma identidade sólida há muitos anos e portanto há que inverter o rumo da eliminatória», disse, esta terça-feira, André Villas-Boas, no auditório do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival.

«Vamos com a certeza que se tivermos ao melhor nível podemos trazer um resultado positivo, sabendo que uma vitória pode não ser suficiente para passar a eliminatória. O Benfica é uma equipa muito competente, os desafios são sempre renhidos e difíceis de ganhar. Estamos motivados porque é um acesso a uma final prestigiante», acrescentou o técnico.

«Nós queremos ter uma palavra a dizer nesta Taça de Portugal, até porque somos os detentores do troféu. O Benfica não esteve presente na final do ano passado. Nós temos este desafio pela frente porque temos a hipótese da dobradinha, numa altura que o campeonato está ganho, que é o objectivo principal de cada equipa», avaliou.

André Villas-Boas achou estranho que ainda se desconheça o nome do árbitro para esta partida: «Esse desconhecimento é peculiar, esperamos que tenha a ver com a indisponibilidade dos árbitros. Pode ser também em defesa do árbitro pela pressão a que tem sido sujeito com este clima».

Quanto ao duelo táctico com o técnico do Benfica, Jorge Jesus, André Villas-Boas alertou para o facto de o FC Porto querer «transcender-se em demasia, o que pode levar a erros fatais».

Ontem, segunda-feira, o director de comunicação do Benfica João Gabriel desafiou o clube azul e branco a fazer uma nova conferência de imprensa sobre a arbitragem praticada por Artur Soares Dias no clássico FC Porto – Sporting, da 27.ª jornada da I Liga. Os encarnados alegam que o FC Porto foi beneficiado com a arbitragem.

«Ficar a 17 ou 19 é muito diferente para o Benfica», disse, irónico, André Villas-Boas.

«É uma frustração enorme para o Benfica. É uma óptima chama de motivação tentar justificar-se no injustificável. Não deviam mandar recados para a casa dos outros», atirou.

Recorde-se que a equipa orientada por André Villas-Boas leva para Lisboa uma desvantagem de dois golos, apontados por Fábio Coentrão e Javi Garcia na primeira mão que teve lugar no Estádio do Dragão a 02 de Fevereiro.

O FC Porto (detentor do título) – Benfica, correspondente à segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, tem início esta quarta-feira às 20h30, no Estádio da Luz. O vencedor da eliminatória junta-se ao Vitória de Guimarães (que eliminou a Académica) na grande final no Jamor a 22 de Maio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.