Para muitos, o nome Real de Massamá é apenas o clube onde Nani deu os primeiros pontapés na bola antes de se juntar ao Sporting. No entanto, a equipa da linha de Sintra conquistou um novo estatuto quando fez história na terceira eliminatória da Taça de Portugal ao colocar o Arouca fora da competição.

Pela primeira vez na história do clube fundado em 1951, a equipa garantiu a passagem à quarta eliminatória da prova ‘rainha’ do futebol português. O plantel liderado por Felipe Martins conseguiu ainda a proeza de eliminar uma equipa da primeira divisão.

A queda do Arouca nesta fase da Taça de Portugal não era expectável tanto para os adeptos como para a equipa técnica. Apesar do mau momento da equipa de Lito Vidigal que segue no 16º lugar da liga com apenas cinco pontos (foi uma das equipas qualificadas para a Europa na temporada passada), o Real Massamá era um adversário acessível que vinha do Campeonato de Portugal.

No complexo desportivo de Monte Abraão, a equipa ‘arouquense’ voltou a deixar má figura e acabou por ser eliminada num encontro que o Real Massamá foi superior à formação de Lito Vidigal. A história poderia até ter sido escrita mais cedo com outro protagonista, mas a grande penalidade a favor do Real Massamá acabou por ser rematada para bem longe quando ainda reinava o 0-0. Érico Castro falhou e acabou por, mais tarde, ceder o seu lugar a Nélson Mendes.

A passagem do Real Massamá cria uma situação extremamente rara no futebol português. A equipa de Queluz foi a primeira formação do Campeonato de Portugal a conseguir eliminar uma equipa da Primeira Liga num jogo que Lito Vidigal afirmou que o adversário do terceiro escalão foi superior a um Arouca ‘europeu’.

“Se estava à espera de um Real Massamá tão forte ? Não estava era à espera que a minha equipa estivesse tão mal. Fomos ineficazes em quase tudo e não produzimos o suficiente para obter outro resultado. Só tenho de dar o parabéns ao Real, justíssimo vencedor”, afirmou em declarações citadas pelo jornal ‘ A Bola’.

Eliminados pelo herói ‘part-time’, Nélson Mendes

A grande figura do jogo acaba por ser Nélson Mendes. O avançado de 24 saiu do banco para trazer alegrias a todos os adeptos do Real Massamá. O novo herói da equipa de Queluz fez o único golo do encontro a cinco minutos do final. O tento solitário acabou por ser suficiente para garantir a passagem histórica do Real.

O avançado lançado por Filipe Martins já na segunda parte é, habitualmente, suplente da equipa da linha de Sintra. Frente ao Arouca acabou por não ser diferente e o português começou o jogo sentado no banco de suplentes. Na equipa do Real Massamá, Nélson Mendes acaba por ser um dos exemplos do que há na equipa de Queluz. O jogador de 24 anos não é um atleta profissional e tem um trabalho part-time que concilia com o futebol. Quando não está com a equipa, o camisola 17 trabalha num empresa de limpezas. Esta é uma das dificuldades comuns de um clube com a dimensão do Real Massamá.

Com dois nomes incontornáveis do futebol recente como ídolos: E’too e Henry, Nélson foi o homem que deu justiça ao marcador no encontro com o Arouca. A noção de que, frente à equipa de Lito Vidigal, ia ser a sua hora de glória começou no banco. Os próprios colegas de equipa afirmaram que hoje era o seu dia. Nas confissões após o fim do jogo, Nélson revelou o que lhe disseram os colegas.

“ Ouvi os meus colegas a dizerem que seria o meu dia e que iria marcar. O golo foi um momento único. Sentir a equipa toda a festejar comigo em campo foi espetacular”.

O golo frente ao Arouca pode ter sido o mais importante, mas não foi o primeiro. Esta temporada, Nélson já leva três golos com a camisola do Real, com uma ressalva: foram todos marcados na Taça de Portugal.

No final da terceira eliminatória, o jogador está na quarta posição dos melhores marcadores da prova. À frente do jogador português só seguem Jorginho (UD.Leiria – 5 golos), Adul Seidi (Benfica Castelo Branco – 4 golos) e Mica Duarte (Armacenenses – 4 golos). Contudo, todos estes jogadores representam equipas que já foram eliminadas da Taça de Portugal.

Depois de terem eliminado o Clube Desportivo Rabo de Peixe por 3-0 (dois golos de Nélson Mendes), seguiu-se o encontro com o S. Martinho com mais uma vitória, desta feita, por 3-2. Na terceira eliminatória, o ‘europeu’ Arouca foi a equipa que caiu perante a equipa que está no terceiro escalão do futebol português. Depois de ter tombado um emblema da primeira divisão, o Real Massamá vai ficar à espera do que vai ditar o sorteio da quarta eliminatória.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.