A final da Taça de Portugal já se habituou a ter a presença do FC Porto. Esta será a terceira final consecutiva de Jesualdo Ferreira ao comando dos azuis e brancos, totalizando 27 finais dos Dragões.

O FC Porto fez um jogo tranquilo até porque trazia de Vila do Conde uma vantagem confortável de 1-3 na primeira mão das meias-finais, e esta noite sentenciou a eliminatória por 4-0, com grandes golos de Belluschi (20'), Guarín (78'), Rúben Micael (85') e Falcao (91').

Até aos vinte minutos de jogo da primeira parte, o encontro da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal esteve muito parado. Poucas oportunidades de golo e lances sem sentido. O Rio Ave, que nada tinha a perder, jogou de forma aberta e até chegou a criar perigo.

O golo chegou aos vinte minutos, de bola parada, por intermédio de Fernando Belluschi. O número 7 argentino colocou bem a bola, em arco, e o guarda-redes do Rio Ave Carlos ficou com os pés pregados no relvado. Foi o primeiro golo de Fernando Belluschi na Taça de Portugal e o segundo ao serviço do FC Porto.

Aos 32 minutos, André Vilas Boas derrubou Valeri na área e o árbitro Hugo Miguel assinalou grande penalidade a favor do FC Porto. O argentino Ernesto Farías foi o encarregado de marcar mas Carlos não o permitiu. O internacional angolano estirou-se para o lado direito e adivinhou, defendendo o remate de forma exemplar.

Depois de Farías ter falhado o penálti, o Rio Ave ficou com mais ânimo. Aos 37 minutos, Ricardo Chaves cabeceou à entrada da área, após cruzamento da esquerda, obrigando Beto a aplicar-se.

Se os primeiros vinte minutos da primeira parte estiveram mornos, os primeiros da segunda parte foram entediantes. Um Rio Ave conformado e um FC Porto descansado. O que valeu foi o golaço de Freddy Guarín para acordar os 12 mil adeptos presentes no Estádio do Dragão. A 30 metros da baliza de Carlos, o colombiano enviou um foguete sem hipótese para o guardião dos vila-condenses. Guarín saltou do banco na segunda parte e a primeira vez que tocou na bola, puxou a cultra e disparou.Foi o segundo golo do colombiano na prova.

Mas o FC Porto não arrumou a pistola. Sete minutos depois, de fora da área, Rúben Micael rematou com muita força, depois de uma excelente triangulação entre Belluschi, Hulk e Fucile, e a bola só parou porque encontrou as redes. O ex-Nacional da Madeira marcou o seu segundo golo na Taça de Portugal.

O inevitável Falcao, já depois dos 90 minutos, selou o marcador, com um cabeceamento ao segundo poste depois de um cruzamento da esquerda de Valeri.

Agora, na final da Taça de Portugal, marcada para 16 de Maio, os Dragões defrontarão o Desportivo das Chaves, num encontro inédito entre estas duas equipas. Os flavienses venceram na passada terça-feira a Naval 1.º de Maio por 1-2.

Ao que tudo indica, FC Porto não conseguirá o pentacampeanto e não marcará presença na próxima edição da Liga dos Campeões, por isso, verá na Taça de Portugal a redenção de toda esta época.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.