O treinador do Sporting, Jorge Jesus, reconheceu que o FC Porto chega ao jogo desta quarta-feira com mais frescura física, mas rejeita que isso vá afetar o rendimento dos jogadores, e referiu que as duas equipas vão estar motivadas para o encontro.

"Sporting e FC Porto vêm de vitórias. Estão ambos motivados, e nós mais fatigados, isso nem há discussão. O FC Porto fez um joguinho no domingo e agora joga na quarta-feira, já andamos nisto há meses. Já estamos no limite, não há nada acima disto. Andamos a tentar que os jogadores não saiam dos jogos lesionados, que recuperem a tempo. Não há comparação entre o FC Porto jogar na Luz e aquilo que nós temos vindo a fazer esta época. Jogámos com o Atlético, com o Paços, agora no domingo com o Restelo”, começou por dizer Jorge Jesus na antevisão à partida desta quarta-feira, a contar para a segunda-mão das meias finais da Taça de Portugal.

O treinador revelou ainda que esta sobrecarga dos jogadores é demonstrativa da grande época que o Sporting tem feito.

“Nós queremos estar aqui. É demonstrativa das decisões. Falta um mês para terminar e o Sporting tem estado nas decisões todas, quatro frentes. Ganhou uma, saiu nos quartos de final da Liga Europa, está nas meias-finais da Taça e ainda tem quatro jornadas do campeonato para disputar muitas coisas", acrescentou o técnico.

Jorge Jesus garantiu ainda que os jogadores vão estar motivados no encontro contra  o FC Porto, apesar das questões físicas.

"Isto é uma meia final e é um jogo que todos os jogadores querem jogar e participar. Aqui já há um suplemento. Os jogadores já estão mais que motivados. Mas já disse, nós estamos no limite de tudo mas acreditamos que podemos passar esta eliminatória e o crer é importante. Se acreditares consegues ultrapassar as questões físicas e certamente com o Estádio de Alvalade com perto de 40 mil pessoas. Nós precisamos dos adeptos e a nossa mentalidade é muito forte. Com cansaço ou sem cansaço, a gente tem de correr. É para isso que a equipa está preparada", salientou o treinador 'leonino'.

Questionado sobre como estava a relação entre o presidente Bruno de Carvalho e o plantel, Jesus atirou que o seu principal objetivo é proteger os jogadores

"Como treinador tenho vários objetivos. O meu principal objetivo é proteger os meus jogadores. Meus e do presidente. Motivá-los e prepará-los para os jogos. A partir de tudo isto, já não tenho nada a ver com isso", disse Jesus, antes de admitir que o facto de jogar em casa pode ajudar na reviravolta na eliminatória.

"Todas as equipas são fortes em casa. O Real Madrid, por exemplo, o Sporting também é. Pensamos que amanhã [quarta-feira] isso vai dar-nos uma possibilidade de estarmos mais fortes. Se depois vamos conseguir tirar partido do fator casa... Acreditamos que sim. Isso também passa pelos adeptos, não só da vontade dos jogadores. Isso é um fator psicológico, emocional, traz outras variantes muito importantes. Sabes que os adeptos estão sempre na tentativa de poder ajudar a equipa a crescer durante o jogo. Isso é um fator emocional", afirmou Jesus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.