No final do jogo, o treinador do Vitória SC mostrou-se naturalmente desiludido com o resultado e a eliminação da sua equipa na Taça de Portugal e fez um apelo na sequência da grande penalidade que deu origem ao primeiro golo do FC Porto: "não há uniformização dos critérios e de facto precisamos de diálogo".

"Realmente temos de nos sentarmos à mesa, o Conselho de Arbitragem, os árbitros, os treinadores, os clubes e dirigentes, porque de facto precisamos de diálogo. Temos de uniformizar leis, perceber o que é a regra, comportamentos... Muito sinceramente já não percebo muito disto, porque altera-se muitas vezes, não há uniformização dos critérios e de facto precisamos de diálogo. Caso contrário não evoluímos no nosso futebol", começou por dizer Pedro Martins em declarações à Sport TV.

"Aquele momento, sem por em causa o FC Porto, que está bem e com confiança, nem o trabalho do Sérgio... Tivemos uma primeira parte muito boa, mas não fomos eficientes nas bolas paradas. O lance do penálti deixo para vocês, mas nós também temos um lance com o Sturgeon, se compararmos... Por isso digo que já não percebo muito disto. Mas volto a dizer: na segunda parte, a partir do segundo golo, não fomos competentes com a bola. Tivemos dificuldades, a equipa quebrou, porque tivemos um jogo na segunda-feira, com menor tempo de recuperação em relação ao FC Porto. E depois, no momento em que tentámos refrescar a linha da frente, sofremos dois golos de rajada e acabei por gerir já de olho no jogo de segunda, que é importante para o campeonato", acrescentou Pedro Martins.

"Demos uma resposta muito boa [às baixas no plantel]. Na primeira parte tivemos personalidade, jogámos no campo todo e criámos dificuldades ao adversário. Tivemos uma oportunidade, pelo Sturgeon, enquanto o FC Porto teve duas, uma de bola parada e outra na sequência de um erro. Tivemos critério na posse, muita qualidade a assumir o jogo e jogamos o jogo pelo jogo. A segunda prte foi diferente. A partir do segundo golo reconheço que a equipa baixou. Não o deve fazer, mas aconteceu infelizmente", frisou o técnico vitoriano.

"A equipa demonstrou que está a preparar-se bem. Toda a gente está muito disponível. O Hélder [Ferreira], o Rincón, o Sturgeon, que já tínhamos saudades e que já está a aparecer ao nível que o conhecíamos, o Moreno que não joga há muito tempo... Os jogadores mostraram compromisso, foram focados, e agora temos o campeonato, que é importante. Temos muito pela frente. Queremos ter uma palavra muito forte a dizer, como é evidente", sentenciou Pedro Martins.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.