Passaram mais de 50 anos desde que o Lusitano Ginásio Clube, histórico emblema alentejano, desceu à segunda divisão depois de 14 épocas consecutivas no principal escalão do futebol português.

Para a história ficam as tardes de festa no Campo Estrela, palco de duelos intensos onde a equipa da casa chegou a bater o pé aos grandes do desporto-rei – Sporting e FC Porto ‘tropeçaram’ algumas vezes, e o Benfica, apesar de só ter perdido uma única vez, foi goleado por 4-0.

Esta noite, o conjunto eborense, agora a militar nos distritais, volta a encontrar um ‘grande’ na terceira eliminatória da Taça de Portugal. Nada mais, nada menos, do que o atual líder do campeonato.

Para grande desilusão dos lusitanistas e eborenses, o ‘velhinho’ Campo Estrela não irá receber o FC Porto, depois de ter sido ‘chumbado’ pela FPF por falta de condições. O Estádio do Restelo, em plena capital portuguesa e a mais de 100 quilómetros de Évora, foi a alternativa encontrada.

O SAPO Desporto esteve à conversa com o presidente do Lusitano, Luís Valente, com o treinador, Duarte Machado, e com o guarda-redes, Nuno Laurentino. Entre a frustração pela mudança de palco e o orgulho pela oportunidade de defrontar o ‘dragão’, todos querem o mesmo: proporcionar um dia único aos lusitanistas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.