O treinador do FC Porto, Rui Barros, mostrou-se naturalmente satisfeito pelo apuramento dos portistas para as meias-finais da Taça de Portugal após a vitória no Estádio do Bessa por 1-0, e frisou a missão de incutir no plantel dos 'dragões' a mística azul e branca.

Questionado sobre o futuro, o técnico do FC Porto garantiu apenas que irá comandar a equipa frente ao Vitória de Guimarães.

"O meu objetivo é servir o clube. Foram estes dois jogos [n.d.r. com o Boavista], será o de Guimarães, depois veremos o futuro. Estou aqui para dar o meu melhor, a minha experiência e passar a mensagem. Acima de tudo, os jogadores querem honrar esta camisola", começou por dizer Rui Barros no flash interview da Sport TV.

"Os jogos com o Boavista são sempre difíceis, especialmente na Taça. Sabíamos que seria diferente do jogo do campeonato, o Boavista foi uma equipa mais presente, mais agressiva e intensa. Tínhamos de estar unidos e com espírito de sacrifício. No final valeu a pena", acrescentou Rui Barros.

Já sobre a questão disciplinar, o técnico portista lamentou o excessivo número de cartões aos seus jogadores.

"Seis amarelos e um vermelho… Os jogadores do FC Porto não mereciam tanto castigo", sentenciou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.